Parques do Rio têm brinquedos quebrados, mato alto e campo de futebol sem grama

·3 min de leitura

RIO — De ambientes lúdicos, alguns parques do Rio quase não têm mais nada. Brinquedos quebrados, mato alto, campos de futebol sem grama e escuridão compõem o cenário de algumas áreas de lazer da cidade, como o Parque Pinto Teles, em Campinho, na Zona Norte. Lá, os frequentadores são quem cuida dos jardins.

— O parque continua numa situação muito ruim — afirma Sérgio Paiva, presidente da Associação Amigos da Pinto Teles, dizendo que os problemas vistos pelo Globo não são de hoje. — Estamos há uma semana sem luz no parque. As aulas de jazz para crianças e as de ginástica não podem acontecer no escuro. Tem balanço quebrado e muitas árvores podres e com erva-de-passarinho.

Para completar, um rio que passa pelo parque lembra mais um valão.

— E tem uma árvore grande em cima da academia da terceira idade que está caindo, e ninguém fez nada — completa o presidente da associação, que existe há 114 anos.

Em Vila Isabel, o Parque Recanto do Trovador, antigo zoo do Rio, também já viu dias melhores. As crianças encontram brinquedos danificados, mesma realidade vista pelos idosos na área de equipamentos de ginástica. E a grama do campo de futebol nem existe mais.

Na Zona Sul, também há problemas nos parques. Na Lagoa, o Parque dos Patins, que atrai moradores e turistas, o problema mais visível está no campo de futebol. A grama sintética do espaço está sem conservação alguma. E as grades que protegem a quadra se encontram arrebentadas.

Para os pequenos frequentadores, faltam balanços e há brinquedos interditados. A área de patinação tem buracos nos degraus e falhas na grade de proteção.

Em outro ponto na Zona Sul há exemplo mais grave de falta de manutenção. Encravado entre dois dos bairros mais nobres da cidade, o Jardim de Alah está em estado de abandono: grama alta , grades enferrujadas ou falta de gradil e iluminação precária.

— Aqui no Parcão (área para cachorros), o mato está quase sempre alto e falta poda de árvores — reclama Valéria Lopes, passeadora de cachorros e moradora da Cruzada São Sebastião, que fica em frente ao lugar.

Promessas de vistorias e reparos

Sobre a grama sintética do Parque dos Patins e do Recanto do Trovador, a Secretaria de Esportes diz aguardar orçamento para a reforma no começo de 2022. Já a Fundação Parques e Jardins promete vistoriar as árvores do Parque Pinto Teles. O Parque Recanto do Trovador tem gestão compartilhada entre a fundação e o Instituto Ieva, que o adotou e já solicitou o reparo nos brinquedos do parquinho.

A Comlurb promete para a próxima sexta-feira uma vistoria técnica nos parques Recanto do Trovador e dos Patins. Em relação ao Parque Pinto Telles, a companhia informou que o local foi revitalizado por suas equipes em fevereiro, recebendo, entre outros serviços, reparos em brinquedos. Hoje, uma equipe fará uma avaliação no local.

Sobre queixa de aparelhos de ginástica enferrujados e quebrados no Parque Pinto Teles, a Secretaria Municipal do Envelhecimento Saudável e Qualidade de Vida informa que a Academia da Terceira Idade do parque já passou por vistoria e que a manutenção dos aparelhos se inicia hoje.

A Comlurb diz que o Jardim de Alah conta com uma gerência própria da companhia e que a limpeza na área é diária. Ali, a Secretaria Municipal de Conservação afirma que foram feitos reparos no portão e em parte das grades, assim como no guarda-corpo da ponte sobre o canal.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos