Parte de marquise do Ibirapuera cai, mas espaço continuará aberto

1 / 1
Parte de marquise do Ibirapuera cai, mas espaço continuará aberto

GIBA BERGAMIM JR. E MARTHA ALVES

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Parte do teto da marquise de 27 mil metros quadrados do parque Ibirapuera, na zona sul de São Paulo, caiu na noite de quarta-feira (22). Ninguém ficou ferido.

Apesar do incidente, porém, a área seguirá aberta ao público durante os cerca de 30 dias de obras necessários para consertar a parte da estrutura que veio abaixo.

Segundo o secretário municipal de Serviços e Obras, Marcos Penido, que vistoriou o espaço interditado nesta quinta (23) e disse que a estrutura da marquise não foi afetada, uma empresa será contratada em breve para isso. O prefeito João Doria (PSDB), que teve a presença prevista na vistoria, não apareceu --a assessoria diz que não estava na agenda.

No horário em que a estrutura cedeu, dezenas de skatistas e patinadores, os principais frequentadores, estavam no local. "Nasceu de novo", foi a frase usada por um deles depois que um de seus colegas escapou por pouco dos pedaços de concreto.

A obra, desenhada pelo arquiteto Oscar Niemeyer em 1954, já passou por uma reforma. Em 2014, a queda de partes da estrutura da marquise provocou interdições em alguns trechos ao redor da cobertura. Antes disso, de 2010 a 2012, uma reforma ali custou R$ 15 milhões.

De acordo com o secretário do Verde e do Meio Ambiente, Eduardo de Castro, em 2012 houve uma análise de toda estrutura, o que ainda está dentro da validade.

FADIGA

Engenheiros identificaram que não há dano estrutural na obra e que os blocos que vieram abaixo integram uma espécie de tampa, com cerca de 5 cm de espessura, que compõe a estrutura.

Segundo Penido, a apuração preliminar indica que houve uma fadiga pelo tempo desta parte da estrutura.

"Há uma laje de concreto superior com várias vigas e, na parte inferior, há uma laje de fechamento [que cedeu], que não tem função estrutural nenhuma", disse.

Embora tenham sido identificados dois pontos de infiltrações isolados dentro da área total de 27 mil metros quadrados, o trecho que cedeu não apresenta umidade, de acordo com Penido. Os pontos com infiltração também serão reformados.

Com o desabamento, um buraco de aproximadamente 9 m² se formou. A interdição parcial deve ser de aproximadamente 80 m², já que haverá a troca de toda a malha de concreto do trecho.

"Foi uma ruptura pontual dessa laje. Foi uma cisão da armadura que gerou a queda dessa placa. Vamos substituir a laje nesse trecho para que situações pontuais como essa não voltem a ocorrer", explicou o secretário de Doria.

Segundo ele, a análise visual não identificou possibilidade de problema semelhante no restante da marquise. "Faremos também uma prospecção de toda a área da marquise, como se fosse uma ressonância, para verificar se há algum ponto frágil que demande intervenção. Repito: não há dano estrutural."

nasceu de novo

Um vídeo publicado nas redes sociais mostra skatistas após a queda de um pedaço da cobertura. "Nasceu de novo", disse um dos jovens. Na postagem, o internauta escreveu que as chuvas que têm atingido a cidade nos últimos dias causaram infiltrações.

A estrutura funciona como ligação entre parque e Museu Afro Brasil, Oca, Pavilhão das Culturas, Bienal e Auditório.

Após o incidente, a prefeitura informou, por meio de nota, que está sendo produzido um laudo que identificará as causas do desabamento de parte do revestimento da estrutura.

A nota dizia ainda que o pedaço que se desprendeu "fazia parte do revestimento original da construção". Na tarde desta quinta, usuários do parque circulavam normalmente sob a marquise.