Participante do sequestro de Patricia Abravanel. Esdra Dutra Pinto, irmão de Fernando, cumpre pena em liberdade

·1 minuto de leitura

Fechado, tímido, arredio. A descrição feita por vizinhos sobre Esdra Dutra Pinto, irmão de Fernando Dutra Pinto, e também sequestrador de Patricia Abravanel, ainda é a mesma de 20 anos atrás, quando ele foi preso pelo crime. Há quatro, ele está cumprindo o restante da pena de 30 anos em liberdade através do regime aberto.

Aos 41 anos, ele voltou a morar no mesmo bairo, Itapevi, em São Paulo, em que ele e o irmão mais velho planejaram o crime que os tornariam famosos no Brasil. Os pais de Fernando e Esdra também ocupam a mesma casa de dois andares em que moravam quando o sequestro aconteceu.

Criado na igreja evangélica, Esdra tinha se afastado da religião quando jovem, mas dentro da prisão retomou os cultos e hoje não passa uma semana sem pisar numa pequena congregação no mesmo bairro em que mora e onde também presta serviços comunitários e frequenta regularmente a academia.

Mesmo detido, Esdra refez a vida. Se casou, tem um filho, mas tenta apagar o passado que o deixou atrás das grades por 16 anos, sem falar sobrte o assunto. Em 2005, ele chegou a pedir revisão de sua pena, mas foi negado. Esdra conseguiu entrar no regime aberto, porque já havia passado o prazo que o colocaria no semi-aberto. Enquanto cumpre pena, ele tem que se apresentar à Justiça todo mês para dar satisfação do que faz aqui fora.

O Extra tentou contato com Esdra por várias vezes, mas ele bloqueou a reportagem em suas redes sociais. O curioso é que antes disso, foi possível verificar que Silvio Santos está entre as pessoas que ele segue no Instagram.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos