Partido Comunista vai acelerar reforma militar da China

Soldados chineses marchando durante parada militar em Pequim. 03/09/2015 REUTERS/Andy Wong/Pool

PEQUIM (Reuters) - O Partido Comunista da China vai buscar a capacidade de ganhar uma "guerra informatizada" até 2020, como parte de uma acelerada reforma das Forças Armadas, disse a mídia estatal chinesa nesta terça-feira. A China vai fazer progressos significativos no sentido da compreensão da "mecanização e informatização" até 2020 para construir um sistema capaz de "ganhar guerras com mais informatização e cumprir eficazmente a designada missão de construção de uma moderna força militar com características chinesas", informou a agência de notícias Xinhua. A promessa de reforma está inserida em um comunicado divulgado quase uma semana depois que o Comitê Central do Partido realizou uma reunião política de alto nível para definir seu 13º Plano Quinquenal. A Xinhua divulgou partes do documento em seu microblog. De acordo com a agência, a China vai fazer o "Estado de direito" avançar sobre as Forças Armadas e atingir as metas de reforma até 2020. As autoridades estão ampliando uma campanha anticorrupção que levou à prisão de altos oficiais militares. Alimentada por um gasto anual de dois dígitos no campo de defesa, a crescente força militar da China e sua posição cada vez mais assertivo em disputas territoriais incomodam os Estados Unidos e seus aliados na Ásia. (Reportagem de Megha Rajagopalan e Meng Meng)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos