Partido criado por Bolsonaro, Aliança pelo Brasil só tem 6% das assinaturas validadas

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Bolsonaro tenta criar partido Aliança pelo Brasil (Photo by Felipe Beltrame/NurPhoto via Getty Images)
Bolsonaro tenta criar partido Aliança pelo Brasil (Photo by Felipe Beltrame/NurPhoto via Getty Images)

O Aliança pelo Brasil, novo partido que o presidente Jair Bolsonaro tenta criar desde 2019, só conseguiu validar 6% das assinaturas necessárias para ser criado.

Para ter o registro aprovado e poder disputar eleições, o Aliança precisaria ter coletado a assinatura de 492 mil eleitores - que devem ter firmas reconhecidas em cartório -, de no mínimo nove estados.

Leia também

De acordo com levantamento da revista Época, o partido validou apenas 30,5 mil assinaturas.

Dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mostram que, até o momento, Santa Catarina é líder em assinaturas reconhecidas, com 3,6 mil apoios. Um terço dos estados não validou nenhuma assinatura, entre eles, Acre, Ceará, Pernambuco, Goiás e Tocantins.

Durante uma live no mês passado, Bolsonaro anunciou que cogitava voltar para o PSL devido à burocracia de formar um novo partido. O presidente da legenda, deputado federal Luciano Bivar (PE), aceitou negociar a volta do presidente ao partido, mas os dois grupos ainda não chegaram a um acordo sobre os termos da “reconciliação”.

Um dos itens da pauta de reivindicações previa a retirada da candidatura da deputada federal Joice Hasselmann (PSL) à Prefeitura de São Paulo, o que não foi concretizado. Por outro lado, Bolsonaro decidiu apoiar, informalmente, Celso Russomano (Republicanos).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos