Partido governante do Japão busca aumentar orçamento da Defesa

·1 minuto de leitura
O primeiro-ministro japonês, Fumio Kishida (AFP/Kazuhiro NOGI)

O partido governante do Japão apresentou, nesta terça-feira (12), sua plataforma eleitoral, na qual planeja aumentar os gastos com defesa, possivelmente até dobrar, para conter as ameaças da China e da Coreia do Norte.

O conservador Partido Liberal Democrático (PLD), liderado pelo novo primeiro-ministro Fumio Kishida, faz campanha para manter sua maioria parlamentar nas eleições de 31 de outubro.

Em sua plataforma, também promete enfrentar a pandemia e fortalecer a classe média.

Sem nomear diretamente a China, o partido promete "buscar ações responsáveis" em questões de direitos humanos relacionadas à minoria muçulmana uigur, ao Tibete, aos mongóis étnicos e Hong Kong.

Como ação de longo prazo, o PLD propõe ampliar o orçamento da Defesa para além de 2% do PIB, taxa que o colocaria no mesmo patamar dos países da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

Também seria uma ruptura com a tradição política japonesa de limitar os gastos militares a menos de 1% do PIB.

O ministério da Defesa japonês pediu cerca de US $ 50 bilhões para o próximo ano fiscal, que começa em abril.

"Estamos demonstrando nossa determinação em defender as vidas, propriedades, território, águas territoriais, espaço aéreo, soberania e a honra nacional do povo japonês", disse Sanae Takaichi, diretora de política do PLD, em uma entrevista coletiva.

"Vamos oferecer políticas que resultarão em uma diplomacia forte e capacidades de defesa mais fortes", acrescentou Takaichi.

As forças militares japonesas são uma questão delicada porque a constituição do pós-guerra as restringem a um papel estritamente defensivo, e o PLD deseja rever essa postura pacifista.

hih/sah/axn/mas/mar/mr

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos