Partido governista de Mianmar reconhece derrota e Suu Kyi caminha para vitória esmagadora

Líder pró-democracia Aung San Suu Kyi em Yangon. 09/11/2015 REUTERS/Jorge Silva

Por Antoni Slodkowski e Timothy Mclaughlin NAYPITAW/HINTHADA, Mianmar (Reuters) - O partido governista de Mianmar reconheceu nesta segunda-feira derrota nas eleições gerais, à medida que a oposição liderada pela líder pró-democracia Aung San Suu Kyi caminhava para uma vitória que irá garantir a formação do próximo governo. "Perdemos", disse à Reuters o presidente em exercício do Partido União, Solidariedade e Desenvolvimento, Hatay Oo, em entrevista um dia após a primeira eleição nacional livre do país em um quarto de século. A comissão eleitoral começou posteriormente a anunciar os resultados parciais eleitorais de domingo. Todos os 12 primeiros locais anunciados foram ganhos pela Liga Nacional da Democracia, da ganhadora do Nobel da Paz Suu Kyi. A Liga informou que a partir de sua própria contagem de votos pelo país estava a caminho de obter mais de 70 por cento dos assentos no Parlamento, mais de dois terços do necessário para formar o primeiro governo de Mianmar eleito de forma democrática desde os anos 1960. "Eles precisam aceitar os resultados, embora não queiram", disse o porta-voz da Liga Win Htein à Reuters, acrescentando que na altamente populosa região central o partido estava a caminho de conquistar mais de 90 por cento dos assentos. Embora a eleição pareça uma derrota decisiva para o atual governo, um período de incerteza ainda paira sobre o país, porque não é certo como Suu Kyi irá compartilhar o país com o Exército, ainda dominante.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos