Partido governista do Paraguai se une para salvar presidente de impeachment

Daniela Desantis
·1 minuto de leitura
Presidente do Paraguai, Mario Abdo

Por Daniela Desantis

ASSUNÇÃO (Reuters) - O Partido Colorado uniu forças nesta quarta-feira para salvar o presidente do Paraguai, Mario Abdo, de um julgamento de impeachment apresentado por parlamentares de oposição, que o acusaram de mau desempenho no enfrentamento à crise de saúde pública no pior momento da pandemia de Covid-19.

O partido governista convocou uma sessão extraordinária para analisar a acusação contra o presidente uma hora depois de o documento ter entrado na Câmara dos Deputados. Votaram a favor 36 parlamentares e 42 rejeitaram a iniciativa, que foi arquivada.

O governo conservador de Abdo enfrentou protestos intensos nas últimas semanas. Uma disparada de casos de Covid-19 está deixando os hospitais à beira do colapso e sem remédios, e o país está demorando para obter vacinas.

“Nem sempre ter maioria é ter razão... eles podem ter vencido o julgamento político, mas perderam o julgamento do povo”, disse o deputado da oposição Edgar Acosta durante a sessão plenária.

Os deputados que contestaram o julgamento defenderam a necessidade de estabilizar politicamente o país para avançar na compra de vacinas e medicamentos que ajudem a conter a crise.

A Câmara precisava de 53 votos para iniciar o processo, mas o presidente obteve o apoio fundamental da ala liderada pelo ex-presidente Horacio Cartes dentro do Partido Colorado.