Partido italiano 5-Estrelas consultará membros depois de Draghi apresentar plano de governo

·1 minuto de leitura
Líder do partido italiano Movimento 5-Estrelas, Vito Crimi, chega para reunião com o presidente da Itália no Palácio Quirinale

ROMA (Reuters) - O partido italiano Movimento 5-Estrelas fará uma consulta virtual a seus membros para decidir se apoia um governo de Mario Draghi somente depois que o primeiro-ministro designado delinear uma pauta, disse o líder do grupo, Vito Crimi, nesta quarta-feira.

Na noite de terça-feira, o movimento anti-establishment, o maior grupo do Parlamento, adiou a votação que deveria acontecer ao longo dos próximos dois dias para combinar a posição do partido.

"Dizer 'sim' ou 'não' a Draghi seria muito simplista... precisamos votar um programa, e esperaremos Draghi se reunir com os sindicatos e o lobby empresarial da Itália", disse Crimi em uma entrevista ao diário Corriere della Sera.

Ex-chefe do Banco Central Europeu, Draghi, de 73 anos, se encontrará com os líderes dos principais sindicatos italianos e do lobby empresarial nacional Confindustria aproximadamente a partir do meio-dia desta quarta-feira, as últimas reuniões de sua segunda rodada de consultas com o objetivo de formar um novo governo.

Ele deve prestar contas ao chefe de Estado da Itália e propor sua lista de ministros de gabinete até quinta-feira.

Crimi acrescentou que o 5-Estrelas não participará de um governo liderado por Draghi "a qualquer preço", mas que este o tranquilizou no que diz respeito às principais diretrizes.

Crimi negou que o movimento se dividirá por causa da escolha sobre a participação no governo de Draghi.

(Por Francesca Piscioneri)