Partido laico vence legislativas na Tunísia

1 / 2
Entrevista coletiva de representants da Autoridade Independente para as Eleições na Tunísia

O partido laico Nidaa venceu as eleições legislativas celebradas na Tunísia no domingo passado, superando seus adversários islâmicos do Ennahda, segundo resultados oficiais anunciados nesta quinta-feira pelo órgão eleitoral (ISIE).

Nidaa obteve 85 das 217 cadeiras do Parlamento, contra 69 para o Ennahda, informou o ISIE em entrevista coletiva.

A União Patriótica Livre (UPL), partido do magnata Slim Riahi, terminou na terceira posição, com 16 cadeiras, seguido pela Frente Popular, uma coalizão de esquerda, com 15.

As eleições legislativas, que precedem a votação presidencial de 23 de novembro, devem dar a Tunísia instituições estáveis quatro anos após a revolução de janeiro de 2011, que acabou com a ditadura de Zine El Abidine Ben Alí.

O partido Nidaa, um grupo heterogêneo que reúne personalidades de esquerda, centro direita e caciques do regime de Ben Alí, realizou uma campanha agressiva contra os islâmicos do Ennahda, acusados de obscurantismo.

Em outubro de 2011, a eleição da Assembleia Constituinte, vencida pelo Ennahda, foi a primeira consulta livre da história do país, possível após o movimento de contestação que deu origem à Primavera Árabe.

Para as legislativas, os partidos se concentraram em dois grandes tema: a segurança, num momento em que a Tunísia tem testemunhado o surgimento de grupos jihadistas responsáveis ​​por ataques que mataram dezenas de membros das forças de segurança, e a economia, que permanece anêmica e ferida pelo desemprego e a miséria.