Partido de oposição da Venezuela diz que forças de segurança detiveram familiares de ativista

·1 minuto de leitura
Líder da oposição venezuela Juan Guaidó

CARACAS (Reuters) - O partido venezuelano Vontade Popular (VP), de onde emergiu o líder da oposição Juan Guaidó, disse nesta quarta-feira que agentes de segurança detiveram três parentes de um de seus líderes, alimentando preocupações sobre uma possível onda de capturas de opositores.

A denúncia do Vontade Popular ocorre dois dias depois que a Procuradoria-Geral confirmou a captura por membros do Serviço Bolivariano de Inteligência Nacional (Sebin) de Freddy Guevara, um dos colaboradores mais próximos de Guaidó, sob acusações de terrorismo e traição.

A captura de Guevara, quando ele viajava em um caminhão por uma rodovia de Caracas, foi condenada por governos como o dos Estados Unidos, que, como outras democracias ocidentais, reconhecem Guaidó como legítimo líder da Venezuela, ao considerar que a reeleição do presidente Nicolás Maduro em maio de 2018 foi uma fraude.

"Os capangas do regime detiveram arbitrariamente a senhora María Coromoto González, mãe de nosso irmão Javier González, ativista do VP Caracas", disse o partido em sua conta no Twitter.

Além da mãe de González, seu irmão e um primo também foram detidos, acrescentou o partido, destacando que Javier González é um líder do VP em Caracas.

O Ministério da Informação da Venezeula e a Procuradoria não responderam imediatamente a pedidos de comentários.

(Reportagem de Vivian Sequera)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos