Partido de segundo lugar nas pesquisas em Macapá critica adiamento da eleição e avalia ir ao TSE

CAMILA MATTOSO
·1 minuto de leitura

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - A direção nacional do Podemos, partido da candidata a prefeita de Macapá Patrícia Ferraz, criticou a decisão do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) de adiar a eleição na capital e está fazendo consultas para saber se é possível sustar a decisão ou, pelo menos, exigir que a Justiça Eleitoral fixe uma nova data para o pleito. Patrícia apareceu com 18%, em segundo lugar na mais recente pesquisa de intenção de voto, feita pelo Ibope entre segunda (9) e quarta-feira (11). O primeiro colocado é Josiel Alcolumbre, que embora apareça com 26% das intenções, perdeu nove pontos durante o apagão. Para os aliados de Patrícia, o adiamento beneficia Josiel, uma vez que congelou o desgaste progressivo do candidato. A presidente do Podemos, Renata Abreu, pretende questionar ainda o ministro Luís Roberto Barroso, do TSE, sobre o adiamento ter ocorrido apenas na capital Macapá, embora o apagão tenha afetado todo o estado do Amapá.