Partido Trabalhista britânico deixa a porta aberta para permanecer na UE

Por James PHEBY
Jeremy Corbyn

Em uma reviravolta inesperada durante o Congresso do Partido Trabalhista, a principal força da oposição britânica, seu líder do Brexit aludiu nesta terça-feira à possibilidade de propor que o Reino Unido não saia da União Europeia se houver um novo referendo.

"Se a primeira-ministra retornar (das negociações em Bruxelas) com um acordo que não atenda aos nossos critérios, votaremos contra", disse o secretário do Trabalho encarregado do Brexit, Keir Starmer, aos delegados reunidos desde domingo em Liverpool, no noroeste da Inglaterra.

Ele acrescentou: "É verdade que o Parlamento tem a primeira palavra (sobre o acordo), mas, se tivermos que sair de um bloqueio, nossas opções devem incluir a campanha para uma consulta popular e ninguém está descartando a opção de permanecer na União Europeia".

Suas palavras, que não estavam no texto original de seu discurso e provocaram uma grande ovação da plateia, evidenciaram a dissonância interna do partido.

Pouco antes, o chefe das finanças trabalhistas, John McDonnell, assegurou que, se houver um segundo referendo, isso seria limitado a aceitar ou rejeitar o acordo sobre o Brexit e em caso algum seria sobre a permanência ou não do Reino Unido na União Europeia.