Partidos de direita lançam mais candidatos que a esquerda nas eleições 2022

Urna eletrônica de votação. (Foto: Fábio Pozzebom/Agência Brasil)
Urna eletrônica de votação. (Foto: Fábio Pozzebom/Agência Brasil)

Nas eleições deste ano, haverá mais candidatos de direita do que de esquerda concorrendo a cargos públicos. Segundo levantamento pelo portal Metrópoles com base em dados do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), em 2022 haverá 6,6% mais candidatos de direita do que em 2018.

Já a esquerda retrocedeu, e tem 17% de candidaturas a menos neste ano.

As candidaturas ligadas a partidos de centro também registraram aumento e representam 16,5% a mais do que há quatro anos. Somados, direita e centro cresceram 23% entre as eleições.

No dia 2 de outubro, primeiro turno das eleições, haverá 20.389 candidatos de direita ou centro, sendo 1604 somente do PL, partido do presidente e candidato à reeleição Jair Bolsonaro. Em seguida, estão União Brasil, com 1.530 postulantes, e Republicanos, com 1.447.

A esquerda terá 8.597 candidaturas, contra 10.413 em 2018. Os três partidos do espectro com mais nomes lançados são PDT, com 1.362; PSB, com 1.296; e PT, com 1.112

O professor universitário e cientista político Gabriel Petter explicou em entrevista para o portal Metrópoles que, historicamente, a formação das Casas Legislativas costuma ficar entre representantes de direita e centro, variando entre centro-direita e esquerda.

Para ele, o crescimento no número de candidatos desses espectros políticos não significa necessariamente um fortalecimento dessas ideias ou desse posicionamento na maioria da população brasileira, mas um reflexo da conjuntura política no geral.

“Em 2018, elegemos um presidente de centro-direita, o que acabou também influenciando na formação do Congresso Nacional mais voltado para essa vertente política. Obviamente que agora a reeleição vem desses candidatos, que consequentemente acabam puxando também outros correligionários, outros candidatos também nessa linha ideológica”, explica.