Partidos de esquerda se dividem sobre indicação de Haddad para 2022

Sérgio Roxo
·1 minuto de leitura

SÃO PAULO — A indicação feita pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para que Fernando Haddad assuma o posto de pré-candidato do PT à Presidência da República em 2022 provocou reações entre os demais partidos de esquerda. Políticos dessas siglas avaliam que o gesto dificulta a formação de uma frente para enfrentar o presidente Jair Bolsonaro, que pretende disputar a reeleição, e cobram dos petistas a apresentação de um programa de governo.

Até dentro do PT houve reações. O governador da Bahia, Rui Costa, que almeja concorrer ao Palácio do Planalto, não fez críticas diretas à indicação de Haddad, mas afirmou que “nada está definido” e que os projetos não devem ser individuais.