Partidos governistas da Itália realizarão voto de confiança, diz comunicado

Primeiro-ministro da Itália, Mario Draghi, em Roma

ROMA (Reuters) - As negociações para tentar evitar uma votação de confiança parlamentar que poderia desencadear o colapso do governo italiano falharam nesta quinta-feira, depois que o primeiro-ministro da Itália, Mario Draghi, disse que a votação deve ser realizada, segundo um comunicado.

O ministro de Relações Parlamentares, Federico D'Inca, havia aberto discussões com os parceiros da coalizão sobre a possibilidade de abandonar a votação de confiança em um pacote de ajuda ao custo de vida, o que desarmaria a crise política.

O Movimento 5 Estrelas, que faz parte da coalizão governista, disse na quarta-feira que boicotaria a votação, lançando em dúvida o futuro do governo de Draghi.

"O ministro D'Inca conversou com o primeiro-ministro Draghi, que indicou que a única opção viável era pedir um voto de confiança no Senado", disse o gabinete de D'Inca em comunicado.

A nota acrescentou que a votação de confiança em um pacote de ajuda ao custo de vida será realizada mais tarde na quinta-feira, no final de um debate sobre o projeto de lei no Senado.

Fontes haviam dito à Reuters que D'Inca havia sugerido permitir que os legisladores votassem sobre os artigos únicos do pacote de estímulo em vez de sobre o decreto como um todo.

O pacote de ajuda inclui um dispositivo que permite à cidade de Roma construir um incinerador de lixo gigante --um projeto ao qual o 5 Estrelas sempre se opôs.

(Reportagem de Giuseppe Fonte)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos