De Pasolini a Ronald Reagan: o que grandes nomes falaram sobre Pelé

Muito se escreveu e se falou sobre o Rei durante sua vida. Algumas das frases sobre ele, cunhadas por nomes como Nelson Rodrigues, Pier Paolo Pasolini e Ronald Reagan, ficaram famosas. Após seu falecimento, onde não resistiu ao tempo de internação no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, algumas delas se tornaram eternas. Relembre exemplos aqui:

Internação de Pelé faz redes lembrarem genialidade do Rei do Futebol em vídeos; assista

Como Pelé influenciou Neymar a bater recorde de gols do Rei pela seleção brasileira

‘Diego está sorrindo agora’: Pelé parabeniza Argentina após título no Mundial do Catar

Rei de Copas: Pelé sai de cena como o maior dos Mundiais, o único com três títulos

Carlos Drummond de Andrade, escritor brasileiro: "Marcar mil gols como Pelé não é difícil. Marcar um gol como Pelé é muito difícil"

Ferenk Puskas, maior jogador da Hungria: "O maior jogador de futebol do mundo foi Di Stefano. Eu me recuso a classificar Pelé como jogador. Ele está acima de tudo"

Armando Nogueira, jornalista brasileiro: "Pelé certamente teria nascido bola, se não tivesse nascido gente"

Johan Cruyff, jogador e técnico holandês: "Posso ser um novo Di Stéfano, mas não posso ser um novo Pelé. Ele é o único que ultrapassa os limites da lógica"

César Luis Menotti, técnico argentino: "Maradona só seria um novo Pelé se ganhasse três Copas do Mundo e marcasse mais de mil gols"

Ronald Reagan, presidente dos EUA de 1981 a 1989, em outubro de 1982: "Eu sou Ronald Reagan, presidente dos Estados Unidos. Mas você não precisa se apresentar, porque Pelé todo mundo sabe quem é"

Sigge Parling, zagueiro sueco na final da Copa de 58: "Após o quinto gol, eu queria era aplaudi-lo"

Pier Paolo Pasolini, artista italiano: "No momento em que a bola chega aos pés de Pelé, o futebol se transforma em poesia"

Jornal britânico "The Sunday Times", após a final da Copa de 1970: "Como se pronuncia Pelé? D-E-U-S"

Nelson Rodrigues, escrito brasileiro: "Não me venham falar em Di Stefano, em Puskas, em Sivori, em Suárez. Eis a singela verdade: não chegam aos pés de Pelé. Quando muito, podem engraxar-lhe os sapatos, escovar-lhe o manto" e "Quando ele apanha a bola e dribla um adversário é como quem enxota, quem escorraça um plebeu ignaro e piolhento"

Jimmy Carter, presidente dos EUA de 1977 a 1981: "Pelé elevou o futebol a um nível nunca antes visto na América"

João Saldanha, jornalista e treinador brasileiro: "Dentro de campo, Pelé foi um gênio, o maior que conheci. Fora do campo, é um homem comum"