Passageiro de classe executiva urina em mulher e é banido pela Air India por 30 dias

Um passageiro foi banido de viajar pela Air India por 30 dias após ter urinado em uma mulher que também ocupava um assento na classe executiva durante um voo de Nova York, nos EUA, para Nova Delhi, na Índia. Ele teria propositalmente "aberto o zíper das calças" antes de mirar na pessoa e exibir seus genitais.

Segundo a emissora americana CNBC, a companhia aérea considerou o comportamento "inaceitável". De acordo com a empresa, a penalidade máxima de proibir um passageiro que se comporta de forma inapropriada é bani-lo de viajar por 30 dias, o que foi adotado no caso em questão.

"O registro policial já foi apresentado e a Air India está empenhada em ajudar as agências de aplicação da lei, bem como as autoridades reguladoras", afirmou a companhia.

A Air India também constituiu um comitê interno para investigar lapsos de parte da tripulação da Air India e abordar as deficiências que atrasaram a rápida correção da situação.

A Direção-Geral da Aviação Civil (DGCA) também solicitou um relatório do incidente à companhia aérea.

"Estamos buscando um relatório da companhia aérea e tomaremos medidas contra os que forem considerados negligentes", disse a DGCA nesta quarta-feira.

A emissora indiana News 18 Hindi informou que o autor estaria embriagado quando urinou numa passageira. A tripulação teria sido alertada, mas nada teria feito com relação ao estado do homem.

Após o avião pousar na Índia, e o homem desembarcar normalmente, a mulher relatou o caso às autoridades. Segundo o jornal Times of India, o homem caminhou até seu assento "completamente embriagado" depois que o almoço foi servido e as luzes foram apagadas.

"Ele abriu o zíper das calças, aliviando a si mesmo e continuou a me mostrar suas partes íntimas. Minhas roupas, sapatos e bolsas estavam completamente encharcados de urina", afirmou ela, acrescentando que a tripulação "não foi proativa na gestão de uma situação muito delicada e traumática".