Passageiro é agredido dentro de vagão do metrô; polícia suspeita de xenofobia

Passageiro foi agredido em vagão - Foto: Reprodução/TV Globo
Passageiro foi agredido em vagão - Foto: Reprodução/TV Globo
  • Passageiro foi agredido sem motivo aparente quando estava em um vagão do metrô

  • Polícia acredita que a vítima foi alvo de xenofobia, por ser nordestina

  • Rapaz teve traumatismo craniano, enquanto o suspeito conseguiu escapar

Um homem foi agredido por outro passageiro quando estava dentro de um vagão do metrô no Rio de Janeiro. O caso aconteceu no início do mês, mas foi revelado somente agora, após a divulgação de imagens de uma câmera de segurança.

O vídeo mostra Paulo Vitor Araújo voltando para casa, após mais um dia de trabalho como sushiman. Ele estava sentado em um dos assentos do vagão, quando, de repente, um rapaz se aproxima e o atinge com uma mala que carregava.

Paulo reage e empurra o agressor. Os dois se seguram, mas o sushiman é atingido por socos e cai no chão. Nem assim o suspeito interrompe os murros no rosto da vítima.

Um outro passageiro e a mulher que acompanha o agressor parecem tentar interromper o ataque, mas o agressor só para quando a porta do vagão abre e ele deixa o metrô.

Como não houve nenhum motivo aparente que justificasse o ataque, e pelo fato de a vítima ser nordestina, a polícia acredita que o crime pode ter sido causado por xenofobia.

"Não conhecia o cara, não conhecia a mulher. Não fazia nem ideia se era um casal ou não. (...) Pra mim, foi uma coisa sem explicação. O que aconteceu eu sei, agora, o por quê é que tem que ser explicado, tem que ser identificado", declarou a vítima à TV Globo nesta quinta-feira (28).

Após o ataque, funcionários do metrô tentaram deter o suspeito, mas não conseguiram. Eles alegaram que o rapaz carregava uma faca e que, por isso, não tiveram sucesso na detenção.

Traumatismo craniano e lesão no olho

Já Paulo Vitor foi levado ao Hospital Miguel Couto, onde fez exames, mas foi informado de que não havia nenhum funcionário para analisar o resultado. O rapaz, então, foi para um centro médico particular em Niterói.

Lá, a vítima foi diagnosticada com traumatismo craniano e lesão no olho.

"Eles não se conhecem, ele olha pra vítima e começa a agredir. Ele agrediu tanto... isso é uma tentativa de homicídio. Ele só não morreu por circunstâncias alheias. Ele teve traumatismo craniano, ele tem uma placa no rosto, ele tá com o olho diferente. A troco de que? De nada, não houve nenhuma discussão entre eles, não houve sequer uma troca de palavras", afirmou a delegada responsável pelo caso, Débora Rodrigues, à Globo.

O homem responsável pelo ataque conseguiu escapar e segue desaparecido. A polícia investiga o ocorrido.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos