Passageiros do BRT enfrentam filas normais a dias úteis na primeira segunda-feira de feriadão no Rio

Geraldo Ribeiro
·3 minuto de leitura

Rio - Pelo menos para os usuários do BRT, a manhã desta segunda-feira não foi muito diferente das outras. Apesar do decreto pelo estado de dez dias de feriado como medida para evitar contágio pela Covid-19, quando foram mantidas apenas as atividades essenciais, o que se viu no rush matinal foram filas nas várias estações do corredor Transoeste e ônibus partindo lotados de passageiros.

— Os ônibus extras ampliaram um puco nossas opções, mas não acabou com as filas. Elas apenas estão mais organizadas. Os ônibus continuam saindo lotados — reclamou a diarista Marineide dos Santos, de 49 anos.

Em Madureira, não foi muito diferente. Por conta da demora dos articulados do corredor Transcarioca, por volta das 10h foi possível observar uma longa fila, embora não fosse mais horário de pico matinal. Quando um modal saiu, em direção ao Recreio dos Bandeirantes, estava completamente lotado. Vários passageiros entraram no ônibus sem máscara e não foi vista nenhuma fiscalização na estação.

Já os passageiros de trem tiveram um alívio nesta manhã. A SuperVia informou que no pico matinal, até as 9h, registrou queda de 32,1% de clientes em relação à segunda-feira passada, no mesmo período. O percentual, segundo a SuperVia, representa cerca de 36 mil passageiros a menos no sistema.

Ainda segundo informoua a Supervia, a operação seguiu regular em todos os ramais, com grade normal dos dias úteis. A passageira Mary Leão contou que a composição estava menos cheia que o habitual, apesar de registrar um pequeno atraso.

— No horário que embarquei estava com um atraso de 15 minutos, porém não estava cheio — disse a passageira.

O MetrôRio informou que das 5h às 12h45 desta segunda-feira registrou redução no fluxo de passageiros nas linhas 1, 2 e 4 de 72% em comparação com o dia da semana equivalente de uma operação regular, quando não havia pandemia, quando a concessionária transportava em média 900 mil passageiros.

Informou ainda que mantém nos horários de pico os mesmos intervalos praticados no período pré-pandemia, com oferta máxima da frota, apesar da redução da demanda diária de passageiros e que a operação segue em pleno funcionamento tanto na Linha 4 quanto nas linhas 1 e 2, em horário regular e com todas as estações abertas.

De acordo com equipe intervenção do BRT, em conjunto com a Secretaria Municipal de Transportes, foi usado no horário de pico nesta segunda-feira o mesmo planejamento operacional da frota de articulados dos dias úteis, apesar das medidas restritivas de dez dias para combater o coronavírus.

Ainda segundo comunicado, 138 articulados foram liberados pela manhã para a operação no sistema. No entanto, 15 apresentaram problemas mecânicos, o que acabou por interferir no planejamento e aumentou os intervalos. Mas é importante destacar que o número de quebras dos ônibus cai a cada dia.

O principal problema atualmente, destaca a equipe do BRT e a secretaria, é o estado extremamente precário da frota. . Também foi dito pela equipe de intervenção e pela secretaria que segue o trabalho emergencial de aquisição de peças para o conserto dos veículos articulados que tenham condições de voltar a circular em menos tempo.