Passagem do ciclone Tauktae deixa 91 mortos e 49 desaparecidos na Índia

·2 minuto de leitura
Tripulante ferido de embarcação que naufragou na passagem do tufão Tauktae após o resgate em Mumbai

A Marinha da Índia encontrou 26 corpos nesta quarta-feira (19) e prossegue com as buscas por 49 pessoas desaparecidas no mar na região oeste da Índia, devastada pelo ciclone Tauktae.

De acordo com o Ministério da Defesa, os navios da Marinha resgataram mais de 600 pessoas em instalações petrolíferas em alto-mar, atingidas por um mar tão agitado que as operações para embarcá-las nos botes salva-vidas foram extremamente perigosas.

Também foram encontrados 26 corpos, o que elevou o balanço provisório da passagem do Tauktae para 91 mortos. Aviões e helicópteros continuam as buscas por 49 trabalhadores desaparecidos no naufrágio de um navio de apoio.

Os resgatados mostraram uma "ar de esperança em seus olhares, mas estão, sem dúvida, angustiados [...] Foram sacudidos pelo mar por várias horas", declarou o comandante da Marinha para a região oeste da Índia, M.K. Jha, ao canal NDTV.

Mais de 15% da produção anual total de sal do estado de Gujarat - maior produtor da Índia - foi perdida nas inundações, disse à AFP a Associação de Fabricantes de Sal do país.

Antes de tocar o solo no estado de Gujarat, o ciclone, com rajadas de até 185 km/h e chuvas intensas, provocou a morte de quase 20 pessoas no oeste e no sul da Índia.

- Milhares de casas sem luz -

Mais de 16.500 casas registraram danos. O ciclone derrubou 40.000 árvores e deixou quase 6.000 municípios sem energia elétrica.

O sistema foi restabelecido em 2.100 localidades, anunciaram as autoridades. Centenas de milhares de pessoas continuavam, no entanto, sem acesso à energia elétrica nesta quarta-feira.

"Não temos nem energia (elétrica), nem telefone", disse à AFP um encarregado local do distrito costeiro de Amreli, Aayush Oak.

Mais potente ciclone a atingir a região em décadas, Tauktae deixou vítimas nos estados de Kerala, Goa, Maharashtra e Gujarat.

O primeiro-ministro, Narendra Modi, pretende sobrevoar as áreas afetadas nesta quarta-feira.

"Depois de semanas de caos e de perdas humanas devastadoras causadas pela covid-19, isto não poderia acontecer em um momento pior", destacou Santanu Chakraborty, da ONG Save The Children.

"Milhares de crianças e suas famílias perderam suas casas e seu sustento. Os danos em rodovias e infraestruturas pressionarão ainda mais as administrações locais, que sofrem para superar as consequências da pandemia", completou.

A passagem do ciclone coincidiu com uma explosão de casos de coronavírus no país, onde os hospitais estão em colapso e enfrentam a escassez de oxigênio e de medicamentos.

Com 1,3 bilhão de habitantes, a Índia registrou nesta quarta-feira 4.529 mortes por covid-19, um recorde, e 267.334 novos casos em 24 horas. Com isso, o balanço total da covid-19 no país é de mais de 25 milhões de contágios e 283.248 óbitos.

bur-lth/slb/jvb/mab/zm/fp/tt/mvv

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos