Passagem de ciclone tropical deixa um morto e vários feridos no Japão

Ciclone tropical Krosa provoca fortes ventos e chuvas torrenciais

O sudoeste do Japão se preparava nesta quinta-feira para uma intensificação das chuvas que acompanham a passagem do ciclone tropical Krosa, que deixou um morto e várias pessoas levemente feridas.

O ciclone também prejudica os transportes em grande parte do país.

O fenômeno, rebaixado pela agência meteorológica japonesa a "tempestade tropical severa" de acordo com critérios internacionais, tocou pouco depois do meio-dia desta quinta-feira a principal ilha do arquipélago, Honshu, na altura do município de Hiroshima.

O ciclone Krosa está acompanhado por rajadas de vento de até 144 km/h.

Autoridades citadas pelo canal de televisão público NHK afirmaram que pelo menos 21 pessoas ficaram levemente feridas. A agência de notícias Jiji informou que uma pessoa morreu ao ser arrastada pelas ondas.

"Devemos permanecer vigilantes porque mais chuvas estão previstas para a tarde", afirmou um funcionário do departamento de gestão de desastres naturais da província de Tokushima.

As autoridades temem chuvas recordes nas próximas 24 horas.

Mais do que os danos provocados pelo vento, as autoridades alertam para possíveis inundações, marés de tempestades (aumento anormal do nível de água causado pelo ciclone) e deslizamentos de terra.

No município de Oita, 20 pessoas foram socorridas depois que ficaram presas na repentina cheia de um rio.

As autoridades emitiram recomendações de evacuação para 580.000 pessoas, principalmente na ilha de Shikoku.

Como medida de precaução, várias empresas cancelaram nesta quinta-feira as viagens de balsa entre as ilhas do sudoeste e algumas conexões ferroviárias de alta velocidade, em particular entre Osaka e Kokura.

Também foram cancelados 760 volos, incluindo mais de 400 das duas principais companhias nipônicas, Japan Airlines e ANA.

Algumas fábricas suspenderam as linhas de produção. Eventos esportivos e culturais também foram cancelados.