Pássaros que passam o inverno juntos têm mais filhotes, diz estudo

Foto: Pixabay/Trystanm

Um novo estudo da Universidade de Oxford, na Inglaterra, concluiu que os puffins, espécie de pássaro, que seguem rotas similares na migração, têm mais filhotes na estação seguinte.

Ao longo de seis anos, a equipe do Departamento de Zoologia de Oxford, em colaboração com o Instituto de Zoologia de Londres, colocou rastreadores nos pés de 12 casais. 

Durante o período, eles avaliaram se e quantas estratégias migratórias estavam relacionadas ao futuro desempenho reprodutivo daqueles pares. 

No inverno, pássaros de várias espécies se distanciam do lugar em que costumam ficar em busca de comida e um clima mais agradável, fenômeno conhecido como migração.

Uma das principais descobertas dos pesquisadores é que os puffins tentam, na medida do possível, seguir caminhos semelhantes de seus amores durante essa “viagem”. 

Quando conseguiam se reencontrar na primavera, eles acabavam botando mais ovos e seus filhotes cresciam mais saudáveis.

Seguir rotas parecidas também contribuía para que a data de retorno para a casa fosse mais ou menos o mesma, o que significa começar a reprodução algumas semanas mais cedo do que o restante dos pássaros. 

Mas, apesar de fiéis, os pássaros ainda priorizam a condição individual a manter contato com o parceiro fora da época de reprodução, explicou Annette Fayet, principal autora do estudo.

“Uma explicação provável para isso é que as fêmeas que passam mais tempo se alimentando durante o inverno retornam à colônia em melhores condições e são capazes de colocar ovos de maior qualidade, criando bebês mais fortes”, disse.