O pastel de Belém legítimo: Por dentro da loja portuguesa que vende a iguaria

Fabiana Seragusa
Uma média de 21 mil pastéis de Belém é produzida diariamente.

Praticamente todo mundo que visita Lisboa pela primeira vez inclui no roteiro de lugares imperdíveis uma passadinha na loja oficial dos Pastéis de Belém. Dia e noite, o local fica lotado de turistas em busca do original e irresistível pastel de Belém, feito com massa folhada crocante recheada com creme especial (a receita é secreta!) e que pode ser polvilhado com açúcar e canela.

Mas o que muita gente não sabe é que lá dá para provar uma série de outros doces, salgados e bebidas. O cardápio possui mais de 100 opções. Miguel Clarinha, gerente da fábrica, conta que o pastel de bacalhau (€ 1,60/unidade), a marmelada (€ 9/quilo) e o bolo rei (€ 19/quilo) são os quitutes mais vendidos, se não contabilizarmos o carro-chefe da casa, claro, que representa 75% de todo o faturamento. 

Também é possível provar croquete, torta de chocolate, empada, mil-folhas, crepe, coxinha, bolo de brigadeiro, folhado e vários tipos de sanduíches, entre outras delícias. Para acompanhar os petiscos, há desde café expresso (€ 0,85) e cappuccino (€ 2,40) a dezenas de bebidas alcoólicas, como cerveja, vinho, whisky, licor e coquetéis.

Como a espera por uma mesa pode demorar um bom tempo (são 400 lugares disponíveis), os clientes aproveitam a visita para experimentar outros produtos além do queridinho pastel de Belém. E tem para todos os gostos. 

Melhor horário para visitar a loja

Por dentro da loja Pastéis de Belém. 

Em um lugar tão disputado assim, é sempre bom saber os horários mais vazios para otimizar o tempo. Claro que nada é garantido, mas seguir as sugestões dos funcionários pode ser uma boa. Segundo eles, o ideal para quem quer maior tranquilidade é ir ao local logo cedinho ou então no final do dia (o funcionamento é das 8h às 23h).

O período das 10h às 16h é o mais movimentado, até porque os turistas aproveitam as visitas aos pontos históricos do entorno para passar por lá — a Torre de Belém, o Padrão dos Descobrimentos e o Mosteiro dos Jerônimos ficam na mesma...

Continue a ler no HuffPost