Pastor acusado de abuso sexual pediu para vítima não abrir os olhos durante atendimento, diz delegado do caso

·2 min de leitura

RIO — Preso por força de um mandado de prisão temporária, expedido pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, por suspeita de crimes de estupro de vulnerável e posse sexual mediante fraude, o pastor Sérgio Amaral Brito, de 59 anos, já foi apontado como autor de abusos sexuais por pelo menos cinco mulheres. Três delas prestaram depoimento, nesta sexta-feira, na 66ªDP ( Piabetá). De acordo com o delegado Angelo Lages, da 66ª DP, as vítimas que prestaram depoimentos nesta sexta-feira fizeram relatos semelhantes. Uma delas ainda contou que durante uma das sessões, o religioso pediu que ela repetisse que “era gostosa para ajudar a curar problemas de autoestima”. E que, em hipótese alguma, deveria abrir os olhos durante o atendimento.

— Ela conta ter obedecido a ordem e que começou a sentir que ele estava mexendo no corpo dela. Ela então abriu os olhos e percebeu que ele estava só de cuecas e ela estava nua da cintura pra baixo — diz Lages.

Entenda: o que é violência obstétrica, abuso que a influencer Shantal relata ter sofrido do médico Renato Kalil

Todas as vítimas contaram ter sofrido abusos dentro de um consultório, localizado em Piabetá, no município de Magé, na Baixada Fluminense, onde o pastor fazia atendimentos como psicanalista, sexólogo e terapeuta de adultos, casais e adolescentes. Presidente da Igreja Assembleia de Deus, em Jardim Primavera, em Duque de Caxias, e do templo da mesma denominação, em Piabetá, Sérgio foi transferido da carceragem da delegacia para a cadeia pública José Frederico Marques, em Benfica, na Zona Norte. A unidade serve como triagem para outros presídios e é considerada porta de entrada do sistema penitenciário.

Outra vítima relatou que foi hipnotizada antes de ser abusada.

— Ela veio junto com os pais contar o que aconteceu. Disse que foi hipnotizada pelo pastor no consultório e dormiu. Ela contou que ao despertar estava nua da cintura para baixo. E Sérgio estava com uma das mãos nas suas partes íntimas — disse o delegado.

Também nesta sexta-feira, a polícia cumpriu dois mandados de busca e apreensão. Um deles no consultório onde Sérgio fazia atendimento e outro na casa do suspeito. Foram apreendidos dois celulares, livros e imagens de câmeras de circuito interno do prédio onde o religioso fazia atendimentos. Todo o material será analisado e periciado. Sérgio foi preso, em Piabetá, na tarde desta quinta-feira por agentes da 66ª DP. Segundo a polícia, o pastor foi assistido por um advogado e se reservaram ao direito de só falar em juízo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos