Pastora nega oração para filhos de 'crentes esquerdistas' na UTI em vídeo

Pastora da Assembleia de Deus diz que não vai orar para fiéis
Pastora da Assembleia de Deus diz que não vai orar para fiéis "esquerdistas". Foto: Reprodução / Instagram.
  • Pastora pediu para que fiéis "esquerdistas" não a procurassem mais para pedir orações a seus filhos;

  • No vídeo, a pastora também afirma que Lula apoia o aborto;

  • Pastora apagou o vídeo das redes sociais e pediu desculpas pelas falas.

A pastora Michelly Bezerra, da Assembleia de Deus do bairro Éden, em Sorocaba, no interior de São Paulo, publicou um vídeo nas redes sociais em que diz a fiéis “esquerdistas” para não a procurem mais para pedir orações.

Após a viralização, a religiosa apagou a publicação de sua conta no TikTok e no Instagram. De acordo com o g1, ela pediu desculpa por meio de uma mensagem no WhatsApp: “Peço desculpas se alguém se ofendeu. Nunca foi a intenção”.

No vídeo em questão, a pastora diz: “Por favor, não me procurem mais para pedir oração para crianças que estão na UTI, crianças de seus amigos, primos, que estão correndo risco de vida”.

Michelly também afirma que o presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) apoia o aborto e a legalização das drogas.

“Não me peçam mais oração para que o senhor venha libertar o seu sobrinho das drogas, porque legalizando a maconha, pra mim, entendo que ele vai ter como incentivo se drogar a vida inteira”, diz ela.

Na publicação, Michelly defende o presidente Jair Bolsonaro (PL): “Não venha me dizer que vive a Bíblia e tem um compromisso com Cristo quando você usa de tanta ira para atacar um presidente da República que diz que o Brasil está acima de tudo e que Deus está acima de todos. Se houvesse amor no seu coração, você não atacaria”.

Apesar de excluir o vídeo, a pastora tem diversas outras publicações em suas redes sociais nas quais critica os eleitores de Lula, além de defender a organização dos atos bolsonaristas contra o resultado das eleições.