Patrícia Poeta revela assédio que sofreu na adolescência: “Não consegui pedir ajuda”

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Patrícia Poeta está no comando do
Patrícia Poeta está no comando do "Encontro" (Foto: Reprodução / GShow)

Resumo da Notícia:

  • A apresentadora está substituindo Fátima Bernardes, que se saiu de licença médica para fazer uma cirurgia 

  • Patrícia Poeta relembrou um caso de assédio que sofreu quando era adolescente 

  • O "Encontro" deu dicas para mulheres se protegerem durante o uso de carros de aplicativo

Patrícia Poeta abriu o coração nesta quarta-feira (13) durante a exibição de uma reportagem sobre assédio em carros de aplicativo no "Encontro". A apresentadora lembrou de uma situação parecida que viveu quando ainda era adolescente.

"Me coloco no lugar dela, porque, quando era adolescente, também fui vítima de uma tentativa dessa. Lembro até hoje, tenho trauma disso até hoje, porque não consegui sequer falar para pedir ajuda", afirmou a apresentadora que está cobrindo a licença médica de Fátima Bernardes.

Leia também:

Patrícia contava a história de Eduarda, uma mulher de 20 anos que foi assediada em um carro de aplicativo. O motorista ofereceu um produto desengordurante para ela limpar os óculos e o celular. Ele pediu para que ela sentisse o cheiro do pano e logo após se sentiu tonta. Em seguida ela foi trancada no carro, mas conseguiu abrir a porta e pulou com o veículo em movimento.

“Um momento que a gente se sente vulnerável. Fui correndo até o caminhão pedir ajuda. Quando entrei no caminhão, ele ficou parado na frente olhando para onde a gente ia. Só no momento que a gente parou na minha casa que ele seguiu a rota dele", relatou.

Com um carro no palco, Poeta deu algumas dicas de como se manter segura em serviços do tipo como não aceitar álcool em gel do veículo e sentar atrás do motorista, para que ele tenha o mínimo de contato visual possível e esteja em uma situação vulnerável.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos