Patrimônio das mulheres é metade do dos homens

Pixabay

Um estudo divulgado nesta semana mostra que a patrimônio de mulheres brasileiras corresponde a apenas metade do obtido por homens. A pesquisa, realizada por Marcelo Lettiere, diretor-executivo da ONG Instituto Justiça Fiscal e professor da Universidade Federal do Ceará, leva em conta as declarações de imposto de renda realizadas em 2014.

No período, a riqueza média das pessoas do sexo feminino era de R$ 154,9 mil, enquanto a dos homens era de R$ 292,3 mil, uma diferença de 54%. Apenas 36% do patrimônio total declarado à Receita Federal pertence às mulheres.

Por que isso acontece?

A disparidade encontrada na pesquisa reflete o que estudos realizados nos últimos anos indica: as mulheres recebem menos do que os homens, mesmo que possuam a mesma escolaridade e ocupem os mesmos cargos. Como indica ainda o jornal O Globo, outra dificuldade é o fato de o modelo social brasileiro ter, durante muitos anos, mantido as mulheres sob a responsabilidade de pais e maridos, dificultando até a transferência de bens e propriedades para elas. Para se ter uma ideia, apenas em 1962 deixou de ser obrigatória a autorização do marido para que a esposa pudesse trabalhar.

Na prática, os donos de empresa são, em grande parte, homens e proporcionalmente acabam pagando menos impostos do que elas. “O sistema não tem um viés de gênero, porém, acaba tributando mais as mulheres, por beneficiar quem tem mais ganhos por meio de lucros e dividendos, o que não é o caso feminino”, explica Lettiere.

Mais impostos

O estudo indica que 65% dos rendimentos das mulheres são tributáveis, enquanto isso acontece com apenas 57% dos rendimentos dos homens. “Em síntese, as mulheres não somente recebem rendimentos mais de 20% inferiores aos dos homens, como também são prejudicadas ao receberem maiores rendimentos tributáveis do que eles, que são desproporcionalmente favorecidos por isenções ou tributação mais amena na fonte”, declara o autor.

Veja como é distribuída a renda em cada uma das faixas salariais brasileiros:

Até R$ 788

  • 61,04% – mulheres
  • 38,96% – homens

De R$ 788,01 a R$ 1.903,98

  • 46,05% – mulheres
  • 53,95% – homens

De R$ 1903,99 a R$ 2.826,65

  • 36,52% – mulheres
  • 63,48% – homens

De R$ 2.826,66 a R4 3.751,05

  • 37,05% – mulheres
  • 62,95% – homens

De R$ 3.751,05 a R$ 4.664,68

  • 38,52% – mulheres
  • 61,48- homens

Mais de R$ 4.664,68

  • 34,87% – mulheres
  • 65,13% – homens