Patriota recebe filiação de Flávio Bolsonaro e aguarda o presidente: “Vem sem pedir uma bala”

·3 minuto de leitura
Flávio Bolsonaro e o presidente do Patriota (Foto: Reprodução)
Flávio Bolsonaro e o presidente do Patriota (Foto: Reprodução)
  • Presidente do Patriota afirmou que presidente Jair Bolsonaro aceita se filiar à legenda "sem pedir uma bala"

  • Adilson Barroso disse que fará convite oficial a Bolsonaro

  • Flávio Bolsonaro se filiou hoje ao partido

O Patriota recebeu nesta segunda-feira (31) a filiação do senador Flávio Bolsonaro (RJ) e agora aguarda a chegada do presidente Jair Bolsonaro.

Na convenção nacional do partido, realizada por videoconferência, o presidente do Patriota, Adilson Barroso, afirmou que Bolsonaro aceita se filiar à legenda “sem pedir uma bala” em troca.

Leia também

Mas a possível filiação do presidente tem causado disputas internas na sigla. Uma ala, liderada pelo vice-presidente da legenda, Ovasco Resende, e pelo deputado Fred Costa, alegam que houve retirada forçada de integrantes do diretório e de delegados nacionais para que o dirigente da legenda tenha a maioria.

Com isso, abre-se caminho para a “entrega” do Patriota a Bolsonaro.

“Se vocês [ala contra Adilson] pegassem o partido, ele [Bolsonaro] não vinha nem se desse o mundo para ele. Mas graças a Deus ele vem hoje para o partido por causa da amizade sem pedir uma bala”, disse no evento de hoje.

Flávio Bolsonaro se desfiliou do Republicanos na semana passada e afirmou que seguiria para o partido que seu pai escolhesse.

"É um partido maravilhoso. Tenho certeza que vamos caminhar juntos em 2022. Nós temos tudo nas mãos, tudo. Temos o povo do nosso lado para fazer do Patriota o maior partido do Brasil. Se Deus quiser, a gente passa de nove deputados hoje para bancada de 50, 60", declarou Flávio no evento.

Adilson Barroso declarou que fará o convite oficial a Bolsonaro para se filiar à legenda.

“Já peço que me conceda amanhã ou depois com teu pai para fazer esse convite pessoal e nós vamos ouvi-lo. Gostaria de fazer, como presidente nacional, o convite oficialmente para ele vir ao Patriota“, disse.

Flávio afirmou que fará o possível para que o pai seja o mais novo filiado.

Aliança pelo Brasil

Bolsonaro pretendia fundar o Aliança pelo Brasil, mas não conseguiu as assinaturas necessárias para registrar o partido na Justiça Eleitoral.

Com isso, o chefe do Executivo afirmou que buscava uma legenda da qual seria “dono”, ou seja, na qual pudesse ter controle sobre os diretórios estaduais.

No fim de maio, Bolsonaro declarou, em viagem ao Piauí, que poderia se filiar novamente ao PP.

“[O Ciro Nogueira] que eu retorne ao Partido Progressistas. Quem sabe? Se ele for bom de papo, quem sabe a gente volte para lá. É um grande partido”.

No entanto, o senador Ciro Nogueira (PP-PI), presidente do PP, afastou a possibilidade de o presidente e seus filhos se filiarem ao partido. Como Bolsonaro quer ter o comando da legenda, Ciro afirmou, em entrevista, que o presidente deve se filiar a um partido menor.

“Tenho pensado partidariamente e eu não teria como dar uma reviravolta, tomar o comando nos estados e entregar para o pessoal dele. Não tenho como e ele precisa disso. Então, o natural é ele ou retornar ao PSL - existe essa discussão - ou ir para um partido menor. O foco é esse. Não vejo perspectivas de ele ir para o Progressistas ou para qualquer partido desse tamanho, por conta da questão do comando dos estados”, disse.

Além do Patriota, estão ainda no radar de Bolsonaro o PSC e o Brasil 35 (antigo PMB).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos