Patrocinadores cobram Minas por posts homofóbicos de Mauricio Souza

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
TOKYO, JAPAN - JULY 28: Luiz de Souza Mauricio #13 of Team Brazil competes against Team ROC during the Men's Preliminary Round - Pool B volleyball on day five of the Tokyo 2020 Olympic Games at Ariake Arena on July 28, 2021 in Tokyo, Japan. (Photo by Toru Hanai/Getty Images)
Mauricio Souza em ação pela seleção nas Olimpíadas de Tóquio (Foto: Toru Hanai/Getty Images)

Os dois principais patrocinadores da equipe masculina de vôlei do Minas Tênis Clube fizeram postagens nesta terça (26) sobre as declarações homofóbicas de Maurício Souza, central da equipe de Belo Horizonte. Fiat e Gerdau afirmaram que estão acompanhando os "últimos acontecimentos" e que esperam "medidas cabíveis".

Em nota, a Fiat declarou o repúdio a toda e qualquer expressão de cunho homofóbico, considerando inceitáveis as manifestações movidas por preconceito, ímpeto desrespeitoso ou excludente.

Leia também:

"Estamos atentos aos últimos acontecimentos envolvendo o time de vôlei Fiat Minas Gerdau e o jogador Maurício Souza, e portanto, cobrando as medidas cabíveis, de acordo com o nosso posicionamento inegociável diante do respeito à diversidade e à inclusão", afirmou a empresa. 

A Gerdau também postou em suas redes sociais, dizendo que pediu uma posição oficial do clube para "adotar as medidas cabíveis, o mais breve possível".

"A Gerdau repudia qualquer tipo de manifestação de cunho preconceituoso ou homofóbico e já solicitou a posição oficial do clube sobre as tratativas necessárias ao caso para adotar as medidas cabíveis, o mais breve possível. Reforçamos nosso compromisso com a diversidade e inclusão, um valor inegociável para a companhia", disse a companhia.

Duas semanas após o post de Mauricio Souza criticando o novo Super-Homem, da DC Comics, que assume ser bissexual, o Minas se pronunciou oficialmente nesta segunda (25).

"O clube é apartidário, apolítico e preocupa-se com inclusão, diversidade e demais causas sociais. Não aceitamos manifestações homofóbicas, racistas ou qualquer manifestação que fira a lei", afirmou, em nota.

O clube disse estar ciente das postagens do atleta. Apontou que os jogadores têm liberdade para se expressar livremente, mas fez uma ressalva.

"A agremiação salienta que as opiniões do jogador não representam as crenças da instituição sociodesportiva. O Minas Tênis Clube pondera que já conversou com o atleta e tem orientado internamente sobre o assunto", conclui o Minas.

* Com informações da Folhapress

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos