Paul Mazursky, cinco vezes indicado ao Oscar, morre aos 84 anos

Los Angeles (EUA), 1 jul (EFE).- O multifacetado Paul Mazursky, ator, roteirista e diretor candidato em cinco ocasiões ao Oscar, morreu na ontem aos 84 anos, informou nesta terça-feira uma porta-voz da família.

Mazursky, que estava internado no Cedars-Sinai Medical Center de Los Angeles por conta de complicações respiratórias, foi indicado ao Oscar de melhor roteiro original por "Bob, Carol, Ted e Alice" (1969) e "Harry, o Amigo de Tonto" (1974). Com "Uma Mulher Descasada" (1978), além de melhor roteiro original, ele concorreu ao Oscar de melhor filme como produtor; e por "Inimigos, uma História de Amor" (1989) foi indicado à categoria de melhor roteiro adaptado.

Seus trabalhos, que alcançaram fama pela acidez e olhar satírico para relações sentimentais, cheio de histórias sobre infidelidades e troca de casais, o transformaram em uma das figuras mais respeitadas de Hollywood entre as décadas de 1960 e 1970.

Escreveu os 17 filmes que dirigiu e "Harry, o Amigo de Tonto" rendeu Oscar de melhor ator a Art Carney; enquanto Jill Clayburgh foi indicada por "Uma Mulher Descasada" e Dyan Cannon e Elliott Gould o foram por "Bob, Carol, Ted e Alice".

"Parece que tenho talento natural para o humor e que faço as pessoas rirem, mas acho que em mim existe uma dualidade: gostaria de fazer chorar também. Gosto de traçar essas relações. O filme perfeito, para mim, retrata ambas as caras", disse Mazursky há alguns anos ao jornal "Chicago Tribune".

Mazursky também conseguiu duas indicações ao Globo de Ouro pelo roteiro e pela direção de "Uma Mulher Descasada" e recebeu o Emmy em duas ocasiões pelo roteiro da série "The Danny Kaye Show" (1963).

Como ator se tornou um desses rostos secundários infalíveis graças a títulos como "Nasce uma Estrela" (1976), "O Pagamento Final" (1993), "Segredos do Coração" (1994) ou "Casos e Casamentos" (1995), um filme com Antonio Banderas, que o dirigiu em "Loucos do Alabama" (1999).

Seus últimos anos foram dedicados especialmente à televisão, onde trabalhou em séries como "Curb Your Enthusiasm" e "Família Soprano".

O cineasta, por vezes comparado a Woody Allen e Ingmar Bergman por seu estilo de fazer cinema, recebeu uma estrela na Calçada da Fama de Hollywood no ano passado. EFE