Paulinho da Força e ex-presidentes latinos assinam manifesto pró-Lula

Renato S. Cerqueira/Futura Press

CATIA SEABRA

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O presidente da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva, o Paulinho, assinou nesta quinta-feira (11) manifesto em favor da candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Deputado pelo Solidariedade, Paulinho votou pelo impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. Mas procurou Lula em busca de apoio no Congresso Nacional para discussão da reforma trabalhista.

No fim do ano, os dois conversaram ao telefone e deverão se encontrar ainda neste trimestre.

"Se quiserem tirar o Lula, tem que ser na eleição, no voto. Não no tapetão", disse Paulinho.

O abaixo-assinado é feito em razão do julgamento de Lula pelo TRF-4 (Tribunal Regional Federal), em Porto Alegre, marcado para dia 24. Se o colegiado confirmar a condenação no caso do tríplex de Guarujá, o ex-presidente pode se tornar inelegível.

O secretário-geral da Unasul e ex-presidente da Colômbia, Ernesto Samper, também assinou manifesto pelo direito de Lula concorrer. Em maio de 2016, Samper provocou reação do governo Temer ao questionar publicamente a legalidade do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, afirmando que o processo expunha o Brasil à aplicação de cláusula democrática da Unasul.

Ministro das Relações Exteriores à época, o ex-governador José Serra afirmou que os argumentos de Samper eram errôneos e deixavam "transparecer juízos de valor infundados e preconceitos contra o Estado brasileiro e seus poderes constituídos".

Além de Samper, outros três ex-presidentes assinaram o documento em apoio à candidatura de Lula: Cristina Kirchner (Argentina), José Pepe Mujica (Uruguai) e Rafael Correa (Equador).

Os aliados de Lula suam para garantir maior volume de assinaturas ao manifesto que, lançado no dia 19 de dezembro, reúne cerca de 150 mil signatários.