Paulinho Gogó divide o microfone com o grupo Molejo em música que estará no seu primeiro filme; confira o clipe

Gogó e Anderson Leonardo em estúdio

Quem disse que Paulinho Gogó só usa a garganta de ouro para contar vantagens? O malandro, dessa vez, decidiu soltar a voz numa música divertida, em parceria com o Molejo. Intérprete do personagem bem-humorado, Maurício Manfrini entrou em estúdio com o grupo de samba para gravar o clipe de “Não paga nada pra sonhar”, que faz parte da trilha sonora do filme “No Gogó do Paulinho”, com estreia prevista nos cinemas em 16 de abril. Um dos trechos da composição diz: “Pode rir, porque quem não tem condição/ De ir pra Copa, Ipanema ou “Lebrão”/ Uh, uh, mergulha com prazer no Piscinão”. A comédia, protagonizada por Gogó, conta com Cacau Protásio no elenco, no papel de Nega Juju, além das participações de Carlos Alberto de Nóbrega, Bemvindo Sequeira, Serjão Loroza e Anderson Leonardo, vocalista do Molejo.

“Quem não tem dinheiro conta história!”. Foi com esse bordão que Paulinho Gogó se tornou um dos personagens mais queridos do humorístico “A praça é nossa”, do SBT, prestes a estrear nas telonas. No filme com direção de Roberto Santucci e roteiro de roteiro de Paulo Cursino, Odete Damico e Sergio Martorelli, Gogó conta seus casos daquele jeito característico: trocando sílabas e com um vocabulário cheio de gírias. Sentado no banco da praça, ele relembra a infância em Venda Velha, bairro de São João de Meriti; o tempo no Exército e as tentativas na carreira de músico, quando chegou até a invadir a casa de Zeca Pagodinho. Sempre com um ouvinte do lado, recorda as confusões em que se meteu fazendo bicos no jogo do bicho, lembra como conheceu os amigos Chico Virilha, Biricotico, Helinho Gastrite e Celso Bigorna e as loucuras que cometeu para conquistar a Nega Juju.

O personagem Paulinho Gogó foi criado em 1995 por Maurício Manfrini no programa “Patrulha da cidade”, da Rádio Tupi. Depois disso, passou pela Rede CNT, no programa “Na boca do povo”. O sucesso o levou para a “Escolinha do Professor Raimundo”, na Globo. Em 2004, ele chegou ao banco da “Praça é nossa”, do SBT, onde está até hoje.