Paulistano que não foi ao Amazonas tem variante do coronavírus

FÁBIO PESCARINI
·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Covisa (Coordenadoria de Vigilância em Saúde) afirmou em nota, na noite deste sábado (13), que foi identificado na sexta (12) um exame positivo para a variante do Amazonas do novo coronavírus em um paciente que mora na cidade de São Paulo e não esteve em Manaus. Na nota, a Secretaria Municipal da Saúde, da gestão Bruno Covas (PSDB), alerta para a maior transmissibilidade dessa variante. Ou seja, ela já pode estar circulando pela cidade, sem que o paciente tenha tido contato com infectados no Amazonas. O paciente com a variante, afirma a secretaria, apresentou sintomas leves de síndrome gripal e não precisou de internação. O exame foi realizado pelo Instituto de Medicina Tropical-USP, segundo a secretaria. Desde o fim do mês passado, os pacientes com novas variantes do coronavírus, inclusive a do Reino Unido, estão sendo tratados no Hospital Municipal Dr. José Soares Hungria, em Pirituba (zona oeste). Segundo a gestão Covas, foram reservados dez leitos, totalmente isolados, para que os pacientes possam ser atendidos. "Caso seja necessário, existe a possibilidade de ampliar este espaço", disse. Não foi informado quantos pacientes com as novas variantes estão internados atualmente no hospital. A unidade de Pirituba tem cem leitos exclusivos para tratamentos de pacientes com Covid-19. Dez estados já identificaram casos da variante brasileira do coronavírus, chamada de P.1, segundo o o Ministério da Saúde. Alvo de análises devido à possibilidade de ser mais transmissível, a variante foi identificada em janeiro no Amazonas, onde já responde pela maioria dos casos, segundo a Fiocruz. Em três estados, Pará, Roraima e Ceará, a variante foi identificada em casos isolados "alguns deles, inclusive, sem vínculo epidemiológico com o Amazonas, como o anunciado ontem na capital paulista.