Para 44% dos paulistanos, rezar é medida que ajuda a combater pandemia do coronavírus

Estádio do Pacaembu, na capital paulista, está sendo usado como hospital de campanha (Foto: AP Photo/Andre Penner)

Pesquisa feita pela Rede Nossa São Paulo em parceria com o Ibope Inteligência mostra que 44% dos paulistas reza para tentar atenuar a pandemia do coronavírus. É a segunda medida mais popular entre os paulistanos, sendo a mais comum evitar sair de casa, decisão tomada por 77% dos moradores da capital paulista.

E nos siga no Google News:

Yahoo Notícias | Yahoo Finanças | Yahoo Esportes | Yahoo Vida e Estilo

A pesquisa foi feita entre os dias 17 e 26 de abril com moradores da cidade de São Paulo com 16 anos ou mais, das classes ABC. O levantamento foi feito online, com questionário estruturado.

Outras ações populares entre os paulistanos são comprar pela internet, aplicativos ou telefone, para evitar sair de casa, praticada por 30% dos entrevistados. A pesquisa ainda mostra que 13% dos moradores de São Paulo acreditam que ajudam a combater a pandemia compartilhando notícias pelo WhatsApp.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

O índice de pessoas que doam dinheiro para organizações e movimentos é de 5%, o mesmo número de pessoas que dispensaram, mas seguem pagando trabalhadores domésticos.

Apenas 3% dizem que estão seguindo a vida normalmente.

Leia também

Siga o Yahoo Notícias no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.

Os entrevistados poderiam escolher quaisquer dos itens que estavam na pesquisa. Além dos citados, ainda há pessoas que doam mantimentos para organizações e movimentos, 9%, que fazem compras para vizinhos em grupos de risco, 9%, e os que cozinham para pentes, amigos ou vizinhos, 5%.

A pesquisa ainda questionou os participantes de eles perceberam alguma diferença na cidade de São Paulo e na convivência entre as pessoas durante o isolamento social. A maior parte, 58%, nota que as ruas estão mais vaziar, enquanto 58% acham que o ar está mais limpo. Para 42% dos paulistanos, as pessoas estão mais solidárias dentro dos locais de convivência.

Por outro lado, 33% dos entrevistados notaram que os mercados e farmácias estão mais cheios e 18% acham que as ruas estão mais perigosas. Apenas 4% não percebeu nenhuma diferença.