Guedes pede desculpa e diz que chamou Brigitte de 'feia' por brincadeira

Redação Notícias
Brazil's Economy Minister Paulo Guedes is seen during a BTG Pactual event for its clients and investors in Sao Paulo, Brazil, August 8, 2019. REUTERS/Amanda Perobelli
Guedes afirmou, nesta quinta, que Brigitte Macron era 'feia mesmo'. (Foto: REUTERS/Amanda Perobelli)

RESUMO DA NOTÍCIA

  • Paulo Guedes, por meio de um comunicado do Ministério da Economia, pediu desculpas por chamar Brigitte de ‘feia’

  • O episódio é o mais recente na polêmica diplomática envolvendo os presidentes Jair Bolsonaro e Emmanuel Macron

O ministro da Economia, Paulo Guedes, pediu desculpas - por meio de um comunicado - após ofender a primeira-dama da França, Brigitte Macron.

Na quinta-feira (5), Guedes declarou em um evento no Ceará que Brigitte era “feia mesmo”. No comunicado, o Ministério da Economia trata a ofensa como uma “brincadeira”.

Leia também

"Estou vendo progresso em várias frentes, mas nada disso... tudo isso é assim... a preocupação é se xingaram a [Michelle] Bachelet, xingaram a mulher do Macron, chamaram a mulher de feia. O Macron falou que estão botando fogo na floresta brasileira, o presidente devolveu. Falou que a mulher dela é feia, por isso que ele está falando isso. Tudo bem, é divertido. Não tem problema nenhum. É tudo normal e é tudo verdade. O presidente falou mesmo, e é verdade mesmo. A mulher é feia mesmo", afirmou Guedes arrancando risos e aplausos de parte da plateia, que continha mulheres.

A intenção do ministro foi ilustrar que questões relevantes e urgentes para país não têm o espaço que deveriam no debate público. Não houve qualquer intenção de proferir ofensas pessoais”, acrescenta o comunicado.

A polêmica diplomática envolvendo Brigitte começou quando um seguidor do presidente publicou uma montagem de fotos dos casais Macron e Bolsonaro dentro de um post no perfil no Facebook do presidente brasileiro, com a legenda: “Agora entende por que Macron persegue Bolsonaro?”.

O presidente Jair Bolsonaro respondeu: “Não humilha cara. Kkkkkkk”. Após o comentário de Bolsonaro repercutir na mídia, a resposta foi apagada para “evitar duplas interpretações”.

Emmanuel Macron, presidente da França, classificou o comentário como “extraordinariamente desrespeitoso”. O episódio se deu um dia depois de Bolsonaro receber críticas do governo francês direcionadas a sua política ambiental que estaria gerando um aumento no número de incêndios na Amazônia.

Internautas brasileiros invadiram as redes sociais repudiando a atitude do presidente com a hashtag #DesculpaBrigitte. Em português, a primeira-dama da França agradeceu à solidariedade.