Paulo Sousa revela detalhes de reunião com Braz e Spindel: 'Me senti à vontade com o Flamengo'

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Paulo Sousa
    Futebolista português

O português Paulo Sousa, que embarcou nesta quinta-feira rumo ao Rio de Janeiro para assumir o cargo de técnico do Flamengo, concedeu a sua primeira entrevista após o acordo, à emissora portuguesa "RTP".

— Esses dias tem sido de fazer muitas coisas, organizar para viajar. Desde o primeiro dia que chegar ao Rio, não terei tempo para fazer coisas que estavam pendentes. Meu pai e minha família deixaram tudo organizado para eu estar concretado na exigência do maior clube do mundo.

— A abordagem foi super positiva. É algo que todos os clubes deveriam ter. Tivemos uma agradável conversa por várias horas. Me senti à vontade com o Flamengo. O Marcos [Braz] e o Bruno [Spindel] queriam saber quem eu era como pessoa, minha metodologia, meu estafe. O conhecimento que tinha do elenco. Tudo isso foi abordado em várias horas.

Sobre a saída da Polônia, Paulo Sousa desconversou. Afirmou apenas que escolheu o Flamengo por ser "uma referência" e afirmou querer ser protagonista.

— A grandeza do clube, do Flamengo (me fez sair da Polônia). Todos os países onde o futebol é a maior referência, fala-se do Flamengo. Há uma grandeza. A dimensão do Flamengo me atraiu. Agora, estou super orgulhoso e muito focado. Vi no campo uma procura constante de ser protagonista. Sobre a Polônia, uma das coisas que nunca posso ser questionado é pela minha honestidade e como apliquei meus métodos. Foi um projeto que terminou — avisou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos