Pazuello afirma que não reservou mais vacinas da Covax Facility porque 'risco era muito grande'

·1 minuto de leitura
BRASÍLIA, DF, 19.05.2021: CPI-COVID-DF - O ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello, um dos principais alvos da comissão de inquérito do Senado, acompanhado de advogados e policiais legislativos, chega para depor na CPI da Covid, em Brasília. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
BRASÍLIA, DF, 19.05.2021: CPI-COVID-DF - O ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello, um dos principais alvos da comissão de inquérito do Senado, acompanhado de advogados e policiais legislativos, chega para depor na CPI da Covid, em Brasília. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O ex-ministro Eduardo Pazuello afirmou que o Brasil só adquiriu junto ao consórcio Covax Facility vacinas para apenas 10% da população porque o "risco era muito grande".

"A Covax facility não nos dava nem data, nem cronograma e nem garantia de entrega", afirmou o general, em depoimento à CPI da Covid.

O ex-ministro também afirmou que o preço inicial das vacinas era muito alto, em torno de 40 dólares a dose, que acabou caindo posteriormente para 10 dólares.

"Quem responde a órgãos de controle, não pode achar que o preço é irrelevante", afirmou. O Brasil adquiriu 42 milhões de doses junto ao Covax Facility.