Pazuello garante a prefeitos alteração no plano de vacinação para incluir professores como prioritários

O Globo
·1 minuto de leitura

BRASÍLIA - Em reunião com a Frente Nacional de Prefeitos (FNP) na manhã desta sexta-feira, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, garantiu que vai alterar o Plano Nacional de Vacinação (PNI) para incluir os professores como prioridade na estratégia de imunização. A medida é uma das reinvindicações dos prefeitos. A informação foi anunciada pelo presidente da frente , o ex-prefeito de Campinas (SP) Jonas Donizette (PSB), em rede social. O encontro é realizado por videoconferência e ainda não terminou.

Segundo Donizette, Pazuello " garantiu que fará uma adaptação no PNI para incluí-los o mais rápido possível, muito provavelmente até março".

Sobre a habilitação de leitos para tratamento da Covid-19 e repasse financeiro para os municípios, Donizette informou que o ministro disse aos prefeitos que “todos os leitos necessários, habilitados e usados serão pagos. Ninguém vai ficar com leito sem poder usar e sem receber pelo uso”.

Na semana passada, o GLOBO revelou que o Ministério da Saúde pediu R$ 2,861 bilhões ao Ministério da Economia para aumentar a quantidade de leitos de UTI contra a Covid-19 e conseguir pagar por 11 mil unidades até março.

Além de Donizette, participam da reunião os prefeitos David Almeida(Manaus/AM), Edvaldo Nogueira (Aracaju/SE), Edmilson Rodrigues (Belém/PA), Rafael Greca (Curitiba/PR), Sebastião Melo (Porto Alegre/RS), Emanuel Pinheiro, (Cuiabá/MT), Bruno Reis (Salvador/BA), Eduardo Paes (Rio de Janeiro/RJ) e Duarte Nogueir (Ribeirão Preto/SP).

Na terça-feira, a FNP divulgou nota oficial atribuindo href="https://oglobo.globo.com/sociedade/vacina/frente-nacional-de-prefeitos-atribui-escassez-de-vacinas-aos-sucessivos-equivocos-do-governo-federal-1-24885810"> a"escassez" de vacinas em cidades brasileiras aos"sucessivos equívocos do governo federal na coordenação doenfrentamento à Covid-19” e na condução do plano de vacinaçãono país.