PDT e PSOL se aproximam de aliança em torno de Boulos para o governo de SP

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Guilherme Boulos
    Ativista e político brasileiro
***FOTO DE ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, 29.05.2021 - Guilherme Boulos. (Foto: Mathilde Missioneiro/Folhapress)
***FOTO DE ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, 29.05.2021 - Guilherme Boulos. (Foto: Mathilde Missioneiro/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Algumas das principais lideranças do PSOL e do PDT consideram bastante avançadas as tratativas entre as siglas em torno da candidatura de Guilherme Boulos para o governo de São Paulo.

Em troca do apoio do PDT ao líder do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto), o PSOL faria campanha pela eleição do escolhido pelos trabalhistas para o Senado por SP e não lançaria um nome próprio.

No PDT, a provável decisão do PSOL por Lula na disputa federal, na qual o ex-presidente deverá enfrentar Ciro Gomes, não é tida como obstáculo.

"Boulos receberia o Ciro, fazendo a praxe de candidato a governador, e faria a campanha de quem quisesse, no caso, também a do Lula", afirma Carlos Lupi, presidente do PDT.

O PSOL também tem conversas avançadas sobre aliança em SP com a Rede.

Lupi diz que a união pode ser benéfica também porque, caso o PT não desista de Fernando Haddad para o governo, Boulos pode cair no "amor de um lado só": fazer campanha para Lula enquanto ele apoia o ex-ministro.

O PDT tem atualmente três opções para lançar ao Senado por SP: a ex-reitora da USP Suely Vilela, o ex-comandante da Rota e babalorixá Mario Filho e a vice-presidente do PDT-SP Maria Giovana.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos