Peças de Giovanna Antonelli e Pedro Scooby são vendidas no Bazar do Bem, aberto no Catete

A Corrente pelo Bem não para de crescer: a associação civil, fundada há 12 anos para dar assistência aos moradores do Jardim Gramacho, em Duque de Caxias, que vivem abaixo da linha da pobreza, acaba de ganhar uma sede no Catete. O Chalé Shopping abriga, desde sábado, o Bazar do Bem, com mais de 400 peças novas ou seminovas femininas, masculinas e infantis, entre roupas, sapatos e acessórios, à venda. Toda a renda será revertida para a compra de cestas básicas e remédios para as famílias assistidas.

Hit: Bolsa criada por marca niteroiense faz sucesso com a 'delegata' Helô, de Giovanna Antonneli

Sérgio Natureza: nome por trás de sucessos de Elis Regina e Ney Matogrosso precisa de ajuda para cuidar da saúde

— Os moradores de Gramacho passam muita necessidade. Cheguei a ver um senhor assar uma ratazana para dar de comer a cinco crianças. Estou feliz por conseguir fazer circular essa energia que estava parada em 20 malas com doações recebidas e transformá-la em alimento — afirma o advogado Rodrigo Freire, morador de Ipanema e fundador da iniciativa.

Entre as doações há peças de nomes como Giovanna Antonelli, Pedro Scooby e Cissa Guimarães e de marcas como Richards, Animale, Diesel, Reserva e Maria Filó. Os preços partem de R$ 10. O bazar será ainda um ponto de coleta de donativos e funcionará de quarta a sábado, das 11h às 19h. Também podem ser feitas contribuições em dinheiro, de qualquer valor, pelo Pix correntepelobem@gmail.com

A nova sede da Corrente pelo Bem, no Catete, também conta com uma cozinha com fogão industrial, para preparar as 500 quentinhas por semana que voluntários distribuem nas noites de segunda-feira a moradores de rua dos arredores da Central do Brasil.

Tal vocação para ajudar o próximo é compartilhada por milhares de jovens participantes da Missão Calebe, da Igreja Adventista do Sétimo Dia, que promove ações evangelísticas e atividades como reformas e limpezas de praças, escolas e residências. Cerca de 50 deles, vinculados à congregação de Botafogo, limparam, revitalizaram a pintura e encheram novamente de cor a escadaria do Morro Santa Marta semana passada.

— Nossa intenção é mostrar para a comunidade uma outra face no nosso cristianismo. Separar um pedacinho das nossas férias para ajudar quem precisa faz diferença para eles, mas também para nós. Foi muito bom ver o quanto as pessoas ficaram gratas por termos colaborado com a preservação daquela escada, que virou um patrimônio do Santa Marta — afirma a estudante de Direito Letícia Maia, de 21 anos, uma das líderes do projeto Calebe.

Na Zona Norte: Oficinas gratuitas de jardinagem e agroecologia são atrações

Para o empreendedor e articulador local Thiago Firmino, a revitalização da pintura deu uma nova vida à escadaria e a quem a utiliza.

— Parece que é uma coisa bobinha, mas não é. Melhora o turismo, proporciona bem-estar à comunidade. A cor influencia na vida das pessoas. Quem chega cansado do trabalho e se depara com uma escada bonita, colorida, ganha uma energia extra. Ainda mais agora, que teremos que subir a pé por três meses, por conta da manutenção do bondinho — diz Firmino.

Domingo, o projeto Calebe promoveu uma feira de saúde na quadra da Arena do Santa Marta. Na ocasião, profissionais como médicos, enfermeiros, psicólogos, fisioterapeutas, advogados e cabeleireiros ofereceram atendimento gratuito aos moradores da comunidade. Também houve palestras sobre nutrição, além de aferição de pressão e testes de glicose de graça.

— Nosso foco é ter os jovens atendendo às necessidades das famílias. Não só levar uma ajuda social, como também espiritual — afirma Robson Pereira, pastor dos jovens na região central do Rio de Janeiro.

A atriz e diretora de produção Anna Sant’ana também percebeu a importância do olhar para o outro: protagonista do espetáculo “Marilyn, por trás do espelho”, em cartaz na Casa de Cultura Laura Alvim, em Ipanema, ela está à frente da campanha Bolsa de Mulher, que arrecada bolsas com itens de beleza e higiene pessoal, como absorventes, escovas de dente, de cabelo, batom, xampu, condicionador e creme hidratante.

Em Niterói: Projeto criado por Gerson, campeão do mundo ao lado de Pelé, promove inclusão de jovens

As doações são recebidas em uma caixa posicionada em frente à bilheteria do teatro nos dias de apresentação da peça (de sexta a domingo, até 5 de fevereiro). Mesmo quem não vá ver a montagem pode contribuir. Nos demais dias da semana, os itens podem ser entregues à equipe da Laura Alvim.

— Em 8 de março, Dia Internacional da Mulher, vamos doar as bolsas a moradoras de rua que estão em situação de sobrevivência; perderam a vaidade completamente. Queremos dar este presente, acalento no coração, para elas se sentirem femininas de novo, lembrarem que são mulheres acima de tudo e poderem se cuidar — diz Anna.