PEC Eleitoral: 14 deputados votaram contra a proposta. Sessão será retomada na quarta-feira

Apenas 14 deputados federais votaram contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) Eleitoral, que institui estado de emergência no Brasil até o fim do ano para driblar a legislação e ampliar o pagamento de benefícios a menos de três meses da eleição. O texto-base do projeto foi aprovado com o apoio de 393 deputados. O custo da PEC chegará a R$ 41,2 bilhões até o fim do ano.

A sessão plenária foi suspensa na noite desta terça-feira pelo presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL). Problemas técnicos inviabilizaram a votação remota. Os parlamentar já haviam aprovado o texto-base e começavam a votar os destaques, emendas que podem modificar o texto. A sessão será retomada na quarta-feira.

Sobre a votação, todas as bancadas da Câmara, com exceção do Novo, orientaram a favor da PEC, inclusive os partidos de oposição.

Veja a lista dos parlamentares

Adriana Ventura (Novo-SP)

Alexis Fonteyne (Novo-SP)

Felipe Rigoni (União-ES)

Frei Anastácio (PT-PB)

Gilson Marques (Novo-SC)

Guiga Peixoto (PSC-SP)

Joice Hasselmann (PSDB-SP)

Kim Kataguiri (União-SP)

Lucas González (Novo-MG)

Marcel van Hattem (Novo-RS)

Marcelo Calero (PSD-RJ)

Pedro Paulo (PSD-RJ)

Tiago Mitraud (Novo-MG)

Vinicius Poit (Novo-SP)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos