Pedágio flexível, desconto para quem usa muito, veja, ponto a ponto, o que vai mudar na Via Dutra

·3 minuto de leitura

Com leilão marcado para o dia 29 de outubro, a Via Dutra, que liga o Rio a São Paulo, terá uma série de particularidades em relação às demais estradas brasileiras. Uma delas é que, dado seu caráter turístico, os preços cobrados em três praças de pedágio serão mais caros em fins de semana e feriados do que nos dias úteis. Por outro lado, os chamados usuários frequentes terão descontos nas tarifas.

Estão previstos R$ 14,5 bilhões em investimentos por parte da iniciativa privada para, entre outras melhorias, ampliação da capacidade, duplicações, implantação de terceiras e quartas faixas e vias marginais.

Veja abaixo os principais pontos previstos no edital divulgado, nesta terça-feira, pelo Ministério da Infraestrutura.

A ideia do governo é minimizar o impacto da introdução de tarifas de pedágio nos custos totais de transporte de usuários de automóveis que precisam utilizar a rodovia para a realização de deslocamentos frequentes, que usualmente ocorrem entre municípios próximos.

Criação de um desconto de 5% sobre a tarifa de pedágio direcionado a quaisquer usuários do sistema de pagamento automático identificado pelo TAG eletrônico acoplado ao veículo.

Na região metropolitana de São Paulo será implementado um mecanismo flexível para a fixação de tarifas, que vão variar com o horário de pico e intensidade de veículos, para viabilizar a fluidez do tráfego. Cobrança deve refletir o quanto cada carro usou da rodovia, de forma automática, por portais, sem praça de pedágio.

Na BR-101, tendo em vista seu caráter turístico, as três praças de pedágio terão valores diferenciados ente os dias da semana e os fins de semana e feriados. Assim, as tarifas sazonais na BR-101 terão um aumento de 66% nos fins de semana e feriados sobre o valor praticado durante a semana.

O edital prevê a ampliação da iluminação na rodovia, com o uso de lâmpadas de Led. A estrata também terá sistema de telegestão, com câmaras, em 100% do trajeto, para tentar reduzir risco de roubo de carga.

O eidtal prevê a construção de quatro áreas de descanso para caminhoneiros, comum em outros países, mas raro por aqui: serão três na Dutra e um na BR-101, com espaço para descanso, banheiros e internet.

Construção de quatro faixas, que totalizarão 16,2 km, terá de ser concluída até o sétimo ano da concessão da rodovia.

Os 80,1 km da rodovia deverão ser duplicados, entre os km 416 e 496,1, entre o sexto e o nono ano da concessão

Construção de diversos trechos, entre o terceiro e o nono ano da concessão. No total, serão 201,2 km no trecho fluminense da Dutra, 356,7 km no trecho paulista e 33,1 km na BR-101.

Construção de 104,9 km de faixas marginais no trecho paulista da Dutra, 39,3 km no trecho fluminense e de 10,6 km na BR-101, entre o quinto e o nono ano da concessão.

Dutra

Praça de pedágio Valor

Arujá (SP) 3,83

Guararema (SP) 3,83

Jacareí (SP) 6,93

Moreira César (SP) 14,49

Itatiaia (RJ) 12,42

BR-101 (apenas no Rio)

Praça de pedágio Valor

Paraty 4,10

Mangaratiba 4,09

Itajaí 4,10

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos