Pedaços de satélite russo estariam em rota de colisão com a Starlink

Pelo menos 841 dos 2.748 satélites da Starlink podem estar em rota de colisão com os detritos (Photo Illustration by Rafael Henrique/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)
Pelo menos 841 dos 2.748 satélites da Starlink podem estar em rota de colisão com os detritos (Photo Illustration by Rafael Henrique/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)
  • Satélite russo Kosmos 1408 foi destruído pela Rússia em novembro de 2021

  • Detritos têm passado a menos de 10 quilômetros de distância da Starlink

  • NASA já havia feito críticas à empresa de Elon Musk por por colocar milhares de satélites em órbita

O portal SpaceNews alertou que restos do satélite russo Kosmos 1408, que foi destruído pela Rússia em novembro de 2021, estão cada vez mais próximos de satélites da Starlink, com mais de 6 mil quase colisões já registradas.

Pelo menos 841 dos 2.748 satélites da Starlink, empresa da rede de internet via satélite da SpaceX, podem estar em rota de colisão com os detritos, que têm passado a menos de 10 quilômetros de distância.

A NASA já havia feito críticas à empresa de Elon Musk por por colocar milhares de satélites em órbita e aumentar consideravelmente o risco de colisões com outros objetos ao redor da Terra.

Starlink no Brasil

Em maio, Elon Musk se encontrou com o presidente Jair Bolsonaro (PL) para apresentar a Starlink.

A Starlink promete velocidades de download entre 100 Mb/s e 200 Mb/s, e latência de até 20 ms na maioria dos locais. O projeto prevê levar 42 mil satélites para a órbita da Terra, sendo que pelo menos 1,8 mil já foram enviados.

A expectativa da Starlink seria conquistar pelo menos 60 mil clientes no Brasil no primeiro ano de operações no país, principalmente nas regiões Sul e Sudeste, segundo os dados repassados pelo governo do Amazonas.

No começo de 2022, a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) autorizou a operação da empresa no Brasil.

Atualmente, a velocidade de download varia de 100 a 200 Mbps e o upload fica na casa dos 10 Mbps. Apesar da contratação não ter segredo, vale destacar que os preços são bem mais altos em comparação à concorrência, sendo que o valor padrão do equipamento, incluindo antena e roteador, é de R$ 3 mil. Além disso, há cerca de R$ 530 de assinatura, mais R$ 252,93 de impostos, o que faz com que o consumidor desembolse por volta de R$ 700 mensais.