Pedido de CPI de atos terroristas já tem 31 assinaturas

O requerimento da senadora Soraya Thronicke (União-MS) para a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar os atos terroristas deste domingo em Brasília já tem o apoio de 31 senadores.

O pedido conta com o apoio do líder do governo, Jaques Wagner (PT-BA), além de outros senadores do PT, MDB, PSDB, PSD, PDT, PRO, Podemos e PP. Até agora nenhum senador do PL, partido do ex-presidente Jair Bolsonaro, apoiou a iniciativa.

O número mínimo de assinaturas é de 27 parlamentares. Todavia, a senadora segue em busca de mais apoios de senadores que seguirão na próxima legislatura. Depois o pedido deverá ser lido pelo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), em plenário.

No documento, a senadora pede que seja apurada a responsabilidade pelos atos, possíveis omissões de autoridades responsáveis pela segurança e a existência de financiadores dos atos golpistas.

Após os atos terroristas com invasão do Congresso, Palácio do Planalto e Supremo Tribunal Federal (STF), o presidente Lula decretou uma intervenção federal na segurança pública do Distrito Federal. O ato pode ser analisado nesta terça-feira pelo Congresso Nacional, segundo o presidente do Senado em exercício Veneziano Vital do Rêgo (MDB-PB)

A convocação extraordinária do Congresso cabe ao presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, que chega a Brasília no final da tarde. Ele está voltando da França, onde passava férias.

O ministro do STF, Alexandre de Moraes, determinou o afastamento por 90 dias do governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB) e determinou a prisão em flagrante dos integrantes dos participantes das ocupações dos quartéis-generais.