Pedro e Carol Solberg, Maria Clara: filhos de Isabel seguiram os passos da mãe no vôlei

Isabel Salgado, ex-atleta do vôlei, jogou na posição de ponteira nas quadras e também fez carreira na areia, além de comandar uma escolinha da modalidade, onde suas próprias filhas iniciaram a carreira. Dos cinco filhos, três deles seguem os passos da mãe como atletas do vôlei de praia: Carol Solberg, Pedro Solberg e Maria Clara Salgado. A ex-jogadora morreu nesta quarta-feira em São Paulo, aos 62 anos.

Ícone do vôlei: Atletas e políticos lamentam morte de Isabel Salgado, aos 62 anos

'Uma referência': Lula lamenta morte de Isabel do Vôlei, que estava na equipe de transição

Carol Solberg, de 35 anos, começou a carreira na escolinha da mãe, aos 9 anos de idade. A melhor jogadora do Circuito Brasileiro 2017/2018 está atualmente na segunda colocação do ranking mundial, ao lado de sua dupla, Bárbara Seixas, que foi medalhista de prata na Rio 2016.

Mas se a dupla de Carol agora é Bárbara, essa posição já foi integrada por uma integrante da família. A irmã Maria Clara Salgado, de 39 anos, também é atleta do vôlei de praia e, juntas, já foram vice-campeãs brasileiras nas temporadas 2007 e 2014/2015, além da vice-colocação do Circuito Mundial 2013. Assim como Carol, Maria Clara deu seus primeiros passos na escolinha da mãe e foi eleita a revelação do Circuito Brasileiro de 2000.

Pedro Solberg é outro expoente do vôlei de praia da família. Além de disputar a Rio 2016 ao lado de Evandro, quando a dupla foi eliminada nas oitavas de final, já foi ele o jogador mais jovem a vencer o Circuito Mundial, em 2008, aos 22 anos, quando fazia dupla com Harley. Atualmente, seu parceiro de quadra é Arthur.

Além dos três atletas, Isabel era mãe da figurinista Pilar Salgado e de Alison Salgado, de 21 anos, adotado pela ex-atleta em 2015.

Copa do Catar: organizadores negam presença de ‘falsos torcedores’ após vídeos viralizarem; assista

Morta aos 62 anos

Maria Isabel Barroso Salgado, a Isabel do vôlei, era natural do Rio de Janeiro. Sua carreira no esporte foi grande. Nas quadras, foi revelada pelo Flamengo e fez história ao ser a primeira jogadora brasileira a atuar na Europa, quando rumou ao Modena, da Itália, em 1980. Em 2016, foi um dos nomes a carregar a tocha olímpica já no Rio, cidade-sede dos Jogos e sua terra natal.

Nesta quarta-feira, aos 62 anos, a ex-atleta morreu no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, onde estava internada após ser acometida pela síndrome de angústia respiratória aguda (SARA), uma condição clínica rara. A informação foi confirmada por amigos próximos.