De pegador no passado a paizão de família, múltiplos talentos, a perda do irmão: a trajetória de Marcos Mion até a Globo

·3 minuto de leitura

Casado desde 2005 com a estilista Suzana Gullo, com quem tem três filhos, Romeo, Donatella e Stefano, Marcos Mion já teve seu passado conquistador. Era quando seu nome saía da cobertura sobre televisão e parava nas páginas de fofoca. Com Preta Gil, teve um intenso relacionamento, como foi descrito na época, com direito a pedido de casamento. O enlace não aconteceu e o namoro durou pouco mais de um ano.

Antes, Mion já havia sido namorado da cantora Patrícia Coelho, ex- “Casa dos artistas”, e da apresentadora e atriz Babi Xavier, cujo romance só foi descoberto por causa de um flagra feito por um paparazzo na época. As modelos Carol Magalhães e Mariana Dubois, além da atriz Danielle Winits, também figuram na lista de conquistas do apresentador.

Leia também: Ex de Bolsonaro e filho 04 Jair Renan se mudam para mansão de R$ 3,2 milhões em Brasília

Apresentador e ator, na verdade. Mion vem acumulando as duas funções desde que estreou na TV no seriado “Sandy & Junior”. Já fez novela, dublou desenhos, atuou em cinco peças e esteve no elenco de três filmes.

Talvez sua passagem mais curiosa na telona seja em “Um show de verão”, intepretando um maquiador. O longa, aliás, serviu para unir na vida real Angélica e Luciano Huck, que se apaixonaram nos bastidores. Fracassou nas bilheterias, mas foi um cupido e tanto.

Multitalentoso, hoje também é um importante influenciador digital, com mais de 14 milhões de seguidores no Instagram, só não dá para dizer que ele também é cantor, embora já tenha lançado um CD. No disco, no entanto, só seu rosto estampado na capa.

“Os fllés do Mion”, na verdade, traz músicas selecionadas por ele. No repertório, quem bombava no início dos anos 2000: Supla, Frank Aguiar, Falamansa, Los Hermanos, CPM22, Maurício Manieri, Patrícia Coelho, sua namorada na época, entre outros. A pérola pode ser comprada por R$ 15 na internet.

Já desinibido pode-se dizer que Marcos Mion sempre foi. Não só pelas performances que já fez em seus programas (a do Michael Jackson, um dos seus ídolos, é antológica), mas também na hora de tirar a roupa. Ele já posou nu nas revistas “Nova” e “Vogue RG”, e apareceu como veio ao mundo na edição de 2001 do VMB, premiação da MTV, com apenas uma plaquinha na frente.

O corpo nesse tempo, porém, era diferente do que tem ostentado atualmente, agora adepto do fisiculturismo. Fã de Arnold Schwarzenegger, Mion gosta de dizer que sempre quis saber como era ser fortão. Conseguiu.

Estimulado pelo Instagram, como o próprio já revelou, ganhou músculos. E elogios da mulher. “O físico do Marcos é só um bônus que acompanha o homem mais inteligente que eu conheço”, afirmou Suzana numa entrevista.

Mas quem vê Marcos Mion sempre brincalhão pode não saber do drama pessoal enfrentado por ele na adolescência. Uma tragédia familiar. O apresentador tinha 14 anos quando perdeu o irmão mais velho, então com 18. Marcelo morreu ao cair do vão livre do MASP, na capital paulista.

“A única coisa que fiz para não ser igual a ele, porque o irmão mais velho é sempre o nosso ídolo né, foi o teatro. O resto, minha vida inteira é uma cópia dele”, declarou ele numa entrevista a André Vasco no YouTube.

Mion entrou em depressão, chegou a engordar 20 quilos, mas foi salvo pelo teatro, como ele mesmo diz. “Eu entendi que eu podia rir de novo e fazer os outros darem risada”, disse. No próximo sábado, quando estrear à frente do “Caldeirão”, será assim.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos