Pelé, 80 anos: conheça detalhes da histórica novela que o 'Rei' fez

Vinícius Faustini
·6 minuto de leitura


O fato de Pelé ser alçado a protagonista não ficou restrito ao Santos, ao New York Cosmos ou à Seleção Brasileira. Em 1969, ano no qual passou em campo pelas sagas de buscar seu milésimo gol na carreira e de ser uma das esperanças de levar a equipe canarinha à Copa do Mundo de 1970, o "Rei do Futebol" ganhou o papel principal da novela "Os Estranhos", exibida pela TV Excelsior.

- Pelé, no auge como jogador do Santos e da Seleção Brasileira, queria vivenciar a carreira artística. Ao mesmo tempo, a TV Excelsior precisava de um nome que movimentasse a imprensa, o mercado publicitário e, claro, a audiência. Por intermédio do diretor artístico Edson Leite e do diretor de novelas Gonzaga Blota, a sugestão do nome de Pelé foi levada à autora Ivani Ribeiro - afirmou ao LANCE!, Mauro Alencar, Doutor em Teledramaturgia Brasileira e Latino-Americana pela USP.


Na trama de Ivani Ribeiro, o eterno camisa 10 interpretava Plínio Pompeu, um jornalista e escritor que vivia em uma ilha na qual desembarcavam seres do planeta Gama Y-12, no qual "reinava a paz absoluta". Os extraterrestres estavam na Terra para ajudar a resolver os problemas dos humanos.

- O assunto espacial estava na moda devido às viagens do projeto Apollo rumo à Lua, que teve seu momento mais emblemático com o pouso da Apollo 11 no solo lunar em 20 de julho daquele ano. Com isso, tudo girava em torno da vida no espaço e do desenvolvimento de foguetes como meio de transporte para a exploração de outros planetas. Ivani Ribeiro, sempre atenta às novidades comportamentais, aproveitou o tema em voga e escreveu a novela "Os Estranhos" - pontuou o autor do livro "A Hollywood brasileira".

Aos olhos do pesquisador de teledramaturgia, a história protagonizada pelo "Rei" abriu espaço para Ivani Ribeiro se enveredar por um caminho pouco explorado por ela.

- "Os Estranhos" foi o ponto de partida para a sua investigação no campo da espiritualidade e da vida além do plano físico. Temática que seria aprofundada em "As Bruxas" e "A Viagem" - destacou Mauro Alencar sobre a autora de sucessos como "Mulheres de Areia" e "A Gata Comeu".

O elenco de "Os Estranhos" ainda trazia as atrizes Rosamaria Murtinho e Regina Duarte e os atores Stênio Garcia, Cláudio Corrêa e Castro e Gianfrancesco Guarnieri.

PELÉ 'ATOR': PROFISSIONALISMO EM CENA E STÊNIO GARCIA COMO 'COACH'

Pelé - Os Estranhos
Pelé - Os Estranhos

'Eu ia para a concentração do Santos e ficava lá passando os textos com ele, orientando', diz Stênio Garcia, que fez Daniel, amigo de Plínio Pompeu na novela (Foto: Reprodução / TV Excelsior)

Não faltam lembranças em torno da rotina com Pelé nos bastidores de "Os Estranhos", novela que durou entre março e agosto. Intérprete de Daniel, que era amigo de Plínio Pompeu na novela, Stênio Garcia foi muito mais do que um colega de cena.

- Eu era o "coach" (na dramaturgia, o preparador de elenco) do Pelé, que estava no auge da carreira no Santos. Aí eu ia para a concentração do clube e passava os textos da novela com ele. Ficava orientando - detalhou o ator.

Conhecido por papéis de destaque como o Bino do seriado "Carga Pesada" e o Tio Ali na novela "O Clone", ambas na Rede Globo, Stênio contou algumas peculiaridades do "ator" Edson Arantes do Nascimento.

- Ele tinha boa memória e sempre foi um cara forte, mas mantinha aquela postura de jogador. Aí eu comecei a colocar um livro na mão dele enquanto a gente passava o texto, para que o Pelé ficasse mais descontraído, solto, menos travado, se sentisse à vontade para fazer as cenas do personagem - disse.

Garcia ainda recorda-se de momentos de descontração ao lado do "Rei".

- Perto de onde o Santos se concentrava tinha uma represa e a gente, em alguns momentos, passava o texto pescando - revelou.

Os Estranhos - Pelé
Os Estranhos - Pelé

'Ele se mostrava muito interessado em acompanhar como a gente gravava a novela', recorda a atriz Rosamaria Murtinho (Reprodução / TV Excelsior)

Uma colega tece elogios à maneira como Pelé participava das gravações de "Os Estranhos". A atriz Rosamaria Murtinho exalta a forma como o "Rei" encarou o desafio de fazer uma novela.

- Foi muito profissional. Ele se mostrava muito interessado em acompanhar como a gente gravava a novela. Sempre bem atento. E o Stênio o ajudou bastante a fazer este papel. Passava os textos, e o Pelé já chegava sabendo as falas na ponta da língua - disse a atriz, que interpretava a extraterrestre Dionéia.

Segundo Rosamaria, uma característica do camisa 10 chamou a sua atenção.

- Pelé sempre agiu com muita humildade, simplicidade. Por mais que ele já fosse um jogador consagrado, não se importava em fazer, refazer as cenas quando precisasse. Foi muito bom! - afirmou a atriz, que se notabilizou em novelas como "A Moça Que Veio de Longe" (na TV Excelsior), "Pantanal" (na TV Manchete) e interpretou personagens com a Romana de "A Próxima Vítima", a Margot de "Chocolate Com Pimenta" e, mais recentemente, a Linda em "A Dona do Pedaço", entre outras.

UM GOL PARA O COLEGA DE NOVELA...

19 de novembro de 1969 - O milésimo gol de Pelé
19 de novembro de 1969 - O milésimo gol de Pelé

'Ele me disse: 'Stênio, vou fazer um gol para você". No jogo seguinte, driblou o time adversário inteiro e fez do jeito que me falou', recorda Stênio Garcia (Foto: Divulgação)

A rotina na teledramaturgia não chegou a afetar o ótimo rendimento de Pelé nos gramados. O pesquisador Mauro Alencar contou que isto se deve à TV Excelsior.

- Havia um grande cuidado da produção em preservar o Pelé durante as gravações da novela. Tanto é que mesmo dividido entre as gravações e o futebol, Pelé levou o Santos a ser tricampeão paulista e terminou o torneio como o artilheiro, com 26 gols marcados. Além disto, a novela terminou em agosto e, em novembro, Pelé marcava seu milésimo gol - recordou.

Um dos gols marcados pelo "Rei" em 1969 tem sabor especial para Stênio Garcia. Segundo ele, Pelé "previu" que balançaria a rede em sua homenagem.

- Teve um dia que ele chegou para mim e disse: "Stênio, vou fazer um gol para você". E ainda disse mais: "vou fazer o gol um pouco depois de esticar o braço na área". Aí no jogo seguinte, ele driblou o time adversário todo, teve um espaço, esticou o braço e chutou. Eu fiquei encucado, né?! A gente se encontrou uns dias depois e eu perguntei como é que ele sabia que ia conseguir. Pelé me disse que quando achava espaço para esticar o braço na hora de chutar, ele se sentia mais seguro e aí o adversário não tinha chance - afirmou.

Em 1969, a magia do aniversariante desta sexta-feira não foi suficiente para melhorar a audiência da TV Excelsior. "Os Estranhos" foi rejeitada pelo público e ficaria para a posteridade mesmo por suas histórias e por ser "a novela que Pelé fez".