Pela terceira vez, SP bate recorde e volta a registrar mais de mil mortes em 24h

Gustavo Schmitt
·2 minuto de leitura

SÃO PAULO. O estado de São Paulo teve mais de mil mortes por Covid-19 num período de 24 horas pela terceira vez nesta semana, a mais letal da pandemia. De acordo com com a secretaria estadual de Saúde, foram registrados 1.051 óbitos neste sábado, o primeiro a ultrapassar essa marca.

Se comparado ao número registrado há uma semana, quando ocorreram 616 mortes, o aumento é de 70%. Houve aumento também de 8% nas internações e de 6% nas UTIs. Hoje são 30.549 internados, contra 28.292 do último sábado e 12.674 pacientes em leitos de Terapia Intensiva, ante 11.976 em igual período.

Os novos registros não significam que as mortes ocorreram de um dia para o outro, mas que foram computadas no sistema neste período. Segundo a secretaria estadual de Saúde, o alto número deste sábado ainda pode ser reflexo de represamento de dados de dias anteriores após mudanças feitas pelo Ministério da Saúde no sistema usado para contabilizar as vítimas - o governo federal acabou por reconsiderar a medida no mesmo dia.

Na sexta-feira, outro recorde de óbitos, com 1193 registros em 24 horas e com as internações em alta, o governo de São Paulo decidiu estender as restrições da fase emergencial por mais 15 dias, até o dia 11 de abril.

Inicialmente, as regras iriam valer até o próximo dia 30, mas integrantes do Centro de Contingência da Covid-19 consideraram ser necessário mais tempo para que as medidas resultem em uma diminuição nas hospitalizações. As taxas de ocupação dos leitos de UTI estão próximo do limite: 91,6% tanto no Estado quanto na Grande São Paulo.

A primeira vez em que São Paulo superou mil óbitos em um dia ocorreu na terça-feira: foram 1021. Com a atualização desta tarde, já são 71.747 vítimas fatais da doença em toda a pandemia só em São Paulo.