Pelo menos 30 tartarugas são encontradas mortas esfaqueadas no litoral do Japão

Pelo menos 30 tartarugas marinhas foram encontradas mortas com cortes pelo corpo em Kumejima, a oeste da ilha de Okinawa, no Japão. Autoridades locais estão investigando o caso após a versão dos pescadores apontar que os animais teriam ficado presos às redes de pesca. De acordo com o Museu das Tartarugas Marinhas de Kumejima, que promove atividades de conservação da espécie na cidade, foi relatado que “tartarugas marinhas vivas estavam presas em redes” no último dia 14.

Estados Unidos: tigre morre após ser diagnosticado com Covid-19 em zoológico

'Sexto dedo': fósseis de 6 milhões de anos explicam evolução dos pandas, que possibilitou dieta de bambu

Quando a equipe da instituição chegou ao mar, no distrito de Maja, no lado leste da ilha, pelo menos 30 tartarugas verdes estavam perto da rede usada para pesca no mar, com a maré apenas a 50 metros da costa, o que significa que os animais não conseguiriam se mover.

A maioria das tartarugas marinhas tem marcas de facadas na base do pescoço, aparentemente feitas por lâminas afiadas. Todas elas foram encontradas ainda com vida, mas com muito sangramento, e acabaram não sobrevivendo.

O Museu da Tartaruga Marinha de Kumejima recolheu um dos animais para investigar a causa da morte.

— Vai levar muito tempo até que as tartarugas possam se reproduzir. Algumas tartarugas mortas são assim. Lamento ter sofrido um acidente — disse Yoshimitsu Tsukagoshi, chefe da entidade.

De acordo com pessoas envolvidas no resgate, um pescador havia dito que tentou “retirar a tartaruga marinha que estava presa na rede”, mas não teria conseguido, e “não teve escolha” a não ser “esfaqueá-la”. Autoridades da cidade e polícia vão ouvir testemunhas outras testemunhas que podem ajudar nas investigações.

Segundo o portal The Mainichi, as tartarugas marinhas verdes, assim como as tartarugas marinhas cabeçudas, estão ameaçadas de extinção, estando na lista vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza e do Ministério do Meio Ambiente do Japão. As atividades de preservação da espécie estão em andamento nas prefeituras, incluindo de Okinawa e de Kagoshima, onde as tartarugas costumam por ovos.

De acordo com fontes ligadas a empresas de pesca de Kumejima, no entanto, um número incomum de tartarugas apareceu na área este ano, e os animais estariam se alimentando de algas marinhas locais, como mozuku e alface marinha, o que causaria dano ao ecossistema local.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos